Restos de eletrodomésticos, colchão, sofá e estante foram descartados irregularmente
Posturas recebe denúncias pelo telefone 2246-9042

A Rua Alberto de Oliveira, na Mosela, recebeu nesta sexta-feira (13.04) remoção de 16 toneladas de entulho no ponto final do local. Dois caminhões, uma retroescavadeira e cinco funcionários fizeram a limpeza do espaço. O serviço, que é feito em duas frentes, foi realizado em 56 ruas ou locais de 30 bairros apenas na primeira metade deste mês de abril.

Além da Alberto de Oliveira, a Comdep também fez coleta de entulho nas ruas Eugênio Barcellos, Simão Bolivar, 29 de Junho, Fabrício de Matos (Valparaíso), Piabanha (Centro), Batista da Costa (Mosela), Campo do Serrano (Bingen), Marechal Hermes (Quarteirão Ingelheim), Independência, Capela, Vila Militar, Nogueira e Duarte da Silveira.

O trabalho de coleta de entulho é dividido entre Comdep, com funcionários e maquinário próprio, e Secretaria de Serviços, que coordena pessoal e equipamentos da Força Ambiental. O despejo de entulho, ou seja, restos de obras, mato, móveis e eletrodomésticos velhos, em ruas e calçadas, é proibido e quem for flagrado está sujeito a multa.

O despejo de restos de obras, mato, móveis e eletrodomésticos e de lixo sobre ruas e calçadas é proibido pelo Código de Posturas do município. A destinação correta é levar o material para o aterro de Pedro do Rio. Quem for flagrado cometendo a irregularidade é intimado a fazer a remoção imediata e recebe multa de R$ 800. A população pode ajudar a coibir o descarte irregular de entulho denunciando os casos para a Fiscalização de Posturas pelo telefone 2246-9042.

A prefeitura vem tomando medidas para frear o descarte irregular, como um fiscal acompanhando as equipes de remoção para fazer flagrantes e trabalha para enviar para apreciação da Câmara um projeto de atualização de valores das multas, que passaria a variar entre R$ 6,5 mil e R$ 20 mil.

Outras ações foram tomadas para conscientizar a população a não realizar o descarte de forma irregular. O setor de obras Comdep instalou 42 placas em 2017 indicando a proibição do despejo de entulho. A empresa ainda construiu canteiros de jardinagem em locais com intenso descarte, como na Rua Fabrício de Mattos, Valparaíso.

Também foi reativado o Disque Entulho, serviço que coleta até 20 sacos de resíduos volumosos de forma gratuita a partir de agendamentos pelo telefone 2243-7822. Apesar de possuir rotas fixas de segunda a sexta, os moradores de qualquer bairro podem pedir atendimento (os locais fora do cronograma serão atendidos de acordo com a disponibilidade).

Cidade bem cuidada: prefeitura trabalhando nos bairros

A Comdep ainda fez capina e roçada no Amazonas (Quitandinha), Piabanha, Barão do Rio Branco (Centro), Oswero do Carmo Vilaça (Alto da Serra), Trono de Fátima (Valparaíso), Meio da Serra,Estrada do Rocio e Parque de Itaipava

A varrição ocorreu em Centro, Quissamã, Itamarati, Cascatinha, Pedro Elmer, Estrada da Saudade, Boa Vista, Alcobacinha, Bela Vista, Quitandinha, Castelanea, Alto da Serra, Morin, Bingen, Mosela, Barão do Rio Branco, Retiro, Carangola e as feiras livres da General Rondon e Francisco Manuel.

A Secretaria de Obras fez manutenção de rede de águas pluviais em Rua Gastão Marques Borges (Mauá), Manoel Borges Freitas (Duarte da Silveira), Alberto de Oliveira (Mosela), Rua do Imperadore Rua Cristovão Colombo (Centro). Ainda foi feita reparos no muro da Praça da Mosela e desobstrução de ralos na Praça de Nogueira.

A manutenção da rede de iluminação pública aconteceu nos bairros Independência, Valparaíso e Bela Vista.

Após o acidente entre dois ônibus na Rua do Imperador, próximo ao Obelisco, na manhã desta quarta-feira (22.05), a Comdep já está avaliando os materiais necessários para fazer a recuperação do canteiro que foi danificado no local. A Companhia também mobilizou uma equipe de varrição logo por volta de 11h para fazer a limpeza da área onde ocorreu o acidente, removendo estilhaços e detritos dos veículos da pista, para liberação do trânsito por volta de 11h30.

Logo após o acidente, agentes da CPTrans e da Guarda Civil estiveram no local para fazer orientação e desvio do fluxo de veículos. O Samu prestou atendimento a cinco pessoas que sofreram ferimentos leves – duas delas foram levadas para a UPA Centro e liberadas, enquanto as demais foram encaminhadas para o Hospital Santa Teresa.

O poste atingido pelo veículo não tem risco de queda. O ponto de luz não foi danificado com o impacto do ônibus no poste, mas a empresa responsável pela manutenção, a Vitorialuz, voltará a vistoriar o ponto a noite desta quarta e, caso necessário, vai providenciar os reparos.

A 29ª Expo Petrópolis terminou com 42 toneladas de lixo. O trabalho de limpeza ocorreu durante todos os dias da festa em dois horários para que não ficasse acúmulo de resíduos. Também foi recolhido quase uma tonelada de material reciclável pela Comdep.

O serviço de coleta de lixo, assim como o de varrição do Parque Municipal de Itaipava, ocorreu tanto pela manhã, após os shows e saída do público, quanto durante à noite, para remover o excesso de lixo gerado pelos frequentadores. O trabalho foi dividido para deixar o palco da Expo nas melhores condições para o evento.

A Comdep termina mais uma Expo com o serviço bem executado, atendendo o objetivo de deixar o Parque Municipal totalmente limpo para a presença do público. Fizemos a varrição, a remoção de lixo e a coleta do material reciclável. E, paralelo a isso, foi desenvolvido novamente o trabalho de conscientização ambiental, com orientação sobre a coleta seletiva.

Durante os seis dias do evento, foram coletados 933 kg de material reciclável. O principal produto foi o papelão, que teve 297 kg retirados, seguido de garrafa pet, com 114 kg. Também foi recolhido alumínio, papel, plástico, tetrapak, vidro, entre outros produtos.

Ao mesmo tempo, a Comdep manteve a barraca com informações sobre a degradação que o lixo causa ao meio ambiente e a coleta seletiva no município.

“Em Petrópolis, muita gente acha ainda que não tem coleta seletiva. E a Comdep tem a coleta porta a porta e recebe esses materiais em alguns locais como na Mosela e aqui mesmo, no Parque Municipal. Essa barraquinha é importante para mostrar como despejar esse lixo na natureza pode ser prejudicial ao meio ambiente e como é possível transformar o lixo em luxo sem desperdiçar. Aqui tivemos vários exemplos de obras de arte feitas com material reaproveitável”, lembra a funcionária do Ecoponto da Mosela, Edlaine Gomes.

O aposentado João Carlos de Freitas levou a neta até a barraca para que a pequena comesse a aprender, desde cedo, que deve reaproveitar o lixo. Ele gosta de flores e, na plantação dele, reaproveita, por exemplo, garrafas pet para fazer vasos de planta, e quer que a menina tenha o mesmo espírito.

“Seria bom que tivesse mais gente que andasse nessa direção de conscientizar a população sobre como jogar o lixo fora corretamente. Esse é um trabalho que deveria começar com as crianças. As pessoas tomam conhecimento disso quando tem eventos como esse com essa barraca e espero que um dia possa ter mais em escolas, em praças”, diz. 

Durante todo o mês de dezembro a Comdep coletou mais de 9 mil toneladas de lixo – resíduos urbanos e entulhos. De coleta seletiva -  materiais recicláveis como papelão, garrafas pet, plástico, vidro entre outros, foram mais de 44,7 toneladas. Os trabalhos foram intensificados durante os feriados com o aumento de caminhões de repasse nos pontos de maior fluxo. O volume de lixo no município aumentou aproximadamente meia tonelada em relação ao mesmo período do ano passado. Em dezembro de 2017, foram coletadas mais de 8 mil toneladas.

De janeiro a novembro do ano passado, somente de entulho a Comdep coletou 61,5 mil toneladas. O trabalho é realizado por sete equipes de serviço da SSOP e da Comdep no Centro da cidade, bairros e nos distritos. Cada equipe conta com uma máquina (retroescavadeira ou pá carregadeira) e um ou dois caminhões. São cerca de 30 funcionários executando o serviço.

Para quem tem dificuldades em descartar esses tipos de materiais, a Comdep oferece o serviço gratuito Disque- Entulho. O trabalho foi reativado em 2017 e já atendeu mais de 5.096 pedidos. Para agendar, basta ligar para o telefone 2243-7822, de segunda a sexta, entre 8h30 e 17h. O Disque Entulho conta com rotas fixas, mas pode atender outros locais de acordo com a demanda do serviço. A coleta é de até 20 sacos com peso de 25 quilos cada.

Vale lembrar que o Código de Posturas proíbe o descarte de entulho nas ruas e calçadas.  A irregularidade gera multa de R$ 800,00.

No mês de dezembro, foram retiradas 2 toneladas de papelão apenas na Rua 16 de Março

A Comdep coletou 665 toneladas de materiais recicláveis ao longo do ano. O número se refere a resíduos de papel, plástico, vidro e metal entregue às cooperativas que atuam na cidade, nos ecopontos da Mosela e de Itaipava e da coleta feita em casa. Além disso, foram recolhidos 2.825 pneus, 7.853 lâmpadas e 4.357 litros de óleo vegetal saturado.

Hoje, a coleta seletiva está reestruturada no município. O trabalho foi iniciado em maio, quando o material passou a ser concentrado em um só local, em Cascatinha. Desde então, o Centro de Reciclagem se tornou um ambiente mais limpo e organizado. Todos os funcionários que trabalhavam no Carangola foram levados para lá e a cooperativa que atuava no local foi formalizada juridicamente.

Agora, são três caminhões que fazem a coleta “porta a porta”, que acontece atualmente em seis bairros: Bingen, Mosela, Valparaíso, Morin, Alto da Serra e Castrioto.

Outro caminho é levar o material reciclável para os ecopontos que funcionam na Mosela e em Itaipava. Em 2018, serão mais dois: na Praça Oswaldo Cruz, na Montecaseros, e um posto de gasolina no Bingen. Desde a inauguração do ecoponto que fica no Parque Municipal, a procura por interessados aumentou: 62 toneladas de material já foi entregue e se transformou em desconto na conta de luz.

“Depois da inauguração do ecoponto em Itaipava, a coleta aqui aumentou. As pessoas ficaram sabendo e começaram a procurar a coleta seletiva aqui também. E a tendência é isso aumentar com os novos ecopontos”, diz a responsável pelo ecoponto da Mosela, Edilaine Gomes.

Todo material é dividido entre as quatro cooperativas da cidade. A “Deus da Guerra”, que atua no Centro de Reciclagem da Comdep em Cascatinha (e que foi regularizada e capacitada pela empresa), processa cerca de 1,3 tonelada por semana. As cooperativas Esperança (Quarteirão Italiano), Dos Amigos (Nogueira) e Rainha do Céu (Duarte da Silveira) separam aproximadamente cinco toneladas. Cada uma comercializa os resíduos que recebem por semana e podem receber mais de acordo com a capacidade de trabalho delas. O restante é selecionado pela própria Companhia.

A Comdep colocou em operação um caminhão compactador de lixo que será utilizado para recolher o lixo gerado pela varrição e setor de jardinagem. Esse veículo ficou quatro anos parado e passou três meses em reforma na oficina mecânica da empresa para voltar ao funcionamento. O caminhão é um dos 10 veículos que foram consertados no ano passado e estão auxiliando os mais diversos serviços feitos pela Companhia.

 Desde 2017, a Comdep trabalha para reverter o quadro de sucateamento da frota. Em dois anos, foram 38 veículos recuperados pela Companhia, entre caminhões, máquinas (retroescavadeira, pá mecânica, trator e miniescavadeira), ônibus e carros menores. Com isso, são 74 veículos em funcionamento pela Comdep.

Para colocá-lo em operação, foi necessário fazer conserto de motor e revisão da parte elétrica, troca de bico injetor, central de comando, turbina, mangote, eixo, entre outras peças. O conserto custou R$ 8 mil e foi feito na própria Comdep. No mercado, esse caminhão compactador pode custar de R$ 90 mil a R$ 130 mil.

No ano passado, um veículo foi reformado para ser usado no serviço de coleta seletiva; um caminhão-caçamba foi consertado para a jardinagem; um trator voltou a funcionar e foi deslocado para dragagem; uma retroescavadeira foi colocada em operação no aterro de Pedro do Rio; uma mini-carregadeira passou por reparos e agora faz a roçada mecânica; um caminhão-basculante foi disponibilizado para a coleta de entulho; e três ônibus agora fazem o transporte dos funcionários e máquinas para os locais de serviço.

O caminhão compactador tem capacidade de 15 m³ e fará a coleta de sacos de lixo recolhido na varrição, de galhos de árvores e grama aparada pelo setor de jardinagem no Centro e arredores e nas feiras livres que acontecem no município.

Serão plantados entre 100 e 150 metros quadrados de grama de ornamentação e oito tipos de mudas

 

A Comdep iniciou nesta quinta (06.07) a reforma da jardinagem no Palácio de Cristal. O setor responsável deslocou 10 funcionários para o serviço, que é realizado na sequência da Bauernfest. Serão implantados entre 100 e 150 metros quadrados de grama Esmeralda, que é utilizada para ornamentação. Ainda serão plantados oito tipos de mudas.


O jardim do Palácio receberá flores Tagete, Boca de Leão, Sálvia, Cineraria, Pingo de Ouro, Hortênsias, Érica e Amor do Pará.A grama começará a ficar mais verde em dois ou três meses, tempo necessário para que ela fixe na terra e sejam feitos os retoques. Por isso, o tamanho total pode variar.


O Palácio de Cristal recebe em média 30 mil visitantes por mês. Erguido em 1884, ele foi um pedido do Conde d’Eu para receber exposições de flores da Princesa Isabel. Em breve, vai passar por uma reforma, possível graças a um acordo envolvendo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e uma empresa,que prevê troca de vidros trincados, recuperação do forro e da estrutura e melhorias da parte elétrica.

A jornalista Viviane de Freitas aproveitou as férias para vir do Rio e visitar o Palácio de Cristal. “Acho o Palácio muito bonito. Que bom que estão cuidando dos jardins, vai valorizar ainda mais aqui. Certamente eu vou querer voltar para ver quando ficar pronto”, falou a turista.


Já na semana que vem, será iniciado o mesmo trabalho na Praça da Liberdade, outro palco da Bauern. Por lá, também haverá plantio de gramas e de flores da época.
Equipes de limpeza e de jardinagem da Comdep realizaram a manutenção no Palácio de Cristal e da Praça Visconde de Mauá, conhecida como Praça da Águia, na manhã desta quarta-feira (30.01). A ação tem como objetivo fazer melhorias e manter o paisagismo de todos os pontos turísticos da cidade, para que estejam sempre preparados para receber os visitantes.

No Palácio de Cristal, mais de dez funcionários fizeram o corte da grama e capina de todo o entorno do monumento, além de reformar a jardinagem, trocar algumas mudas de plantas e realizar a limpeza de todo o ponto. O trabalho será continuado.

Já na Praça da Águia, a equipe fez a limpeza e manutenção do chafariz, além do corte de toda a grama, reestruturação dos canteiros e varrição de toda a área.

A programação de manutenção intensiva nos pontos turísticos, faz parte da ação da Comdep em preservar as áreas históricas do município, que só no Natal Imperial recebeu em 52 dias, mais de 450 mil pessoas de vários lugares do mundo.     

A Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis realizou hoje (18/5) uma grande comemoração junto aos colaboradores pelo Dia do Gari, celebrado no último sábado. A confraternização, no Parque Cremerie, proporcionou momentos de lazer e de convivência entre os funcionários, que reconheceram a importância do evento para a motivação no trabalho.

“Quisemos aproveitar o dia do Gari para homenagear nossos profissionais pelo serviço que prestam para o desenvolvimento da nossa cidade”, destacou o presidente da Comdep, Anderson Cruzick. “Essa é uma das formas de demonstrarmos o quanto os valorizamos enquanto proporcionamos momentos de lazer e interação”.

Para o supervisor da varrição, Leandro Hang, a oportunidade de rever colegas de trabalho e conhecer novas pessoas foi o grande destaque na confraternização. “Muitas vezes não temos tempo de interagir com os colegas por trabalharmos em localidades diferentes. Esse encontro serve para conversarmos e renovarmos as energias”. Muitos lembraram dos eventos que a companhia vem realizando, como a festa de dia das mães e dos aniversariantes do mês, e disseram estar animados com esse novo momento da companhia: “Trabalho há 22 anos na Comdep e nunca vi eventos constantes como agora. Eu me sinto incentivada, dá mais ânimo e vontade de trabalhar”, declarou Leila Santos, que trabalha na varrição.

Os materiais para a companhia e para a coleta seletiva acabaram com o encerramento do contrato anterior.

A prefeitura, por meio da Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) vai adquirir sacos pretos de lixo e sacos transparentes para coleta seletiva. São três lotes para repor o estoque que acabou após encerramento do contrato anterior, em setembro do ano passado. O material que será adquirido vai abastecer a empresa para trabalhar por um ano e será comprado a quem oferecer o valor mais baixo no pregão.

Na coleta seletiva, a reposição dos estoques, é um respeito á população que vem contribuindo com a separação de material reaproveitável. É  o caso da aposentada Alvina dos Santos, 68 anos, moradora no Valparaíso. Religiosamente, ás quartas-feiras, dia da coleta no seu bairro, ela acondiciona o material guardado ao longo da semana anterior à espera da coleta. “Estava comprando sacos porque desde dezembro nunca mais foram entregues. Agora, com a normalização, fica melhor para quem quer contribuir com o meio ambiente”, afirma.

Serão 4,3 mil pacotes de sacos pretos reforçados com capacidade de armazenar 200 litros de lixo. Outro lote prevê a aquisição de 2,6 mil pacotes de sacos pretos reforçados de 100 litros. Por fim, serão compradas 600 mil unidades de embalagens transparentes para a coleta seletiva de 100 litros.

O último tipo de material já havia esgotado completamente no final de dezembro de 2016, enquanto os demais acabaram na semana passada.

“Os sacos da coleta seletiva são entregues cada vez que se faz o recolhimento na casa das pessoas. Por exemplo, se o caminhão passa e recolhe cinco sacos de lixo reciclável, essa pessoa recebe cinco embalagens novas. Antigamente, era quanto as pessoas pediam, mas os sacos acabavam muito rápido”, diz o presidente da Comdep, Wagner Silva, que também explica o uso dos demais materiais.

“Já os outros sacos são utilizados pelos funcionários da companhia no dia a dia de limpeza da cidade. Eles são reforçados porque muitas vezes o lixo pode perfurar, como galhos de árvore”, afirma.

 

Pagina 6 de 44