A campanha de arrecadação de produtos em geral para pets da Coordenadoria de Bem-estar Animal (Cobea), em parceria com a divisão de Petrópolis do moto clube Insanos MC, arrecadou 180 quilos de ração até o momento. As doações podem ser feitas até o dia 06 de março em três locais: no Centro de Cultura Raul de Leoni; na Rua Marechal Deodoro, 209, sala 18 (Loja BMG) e na Est. União e Indústria, 9418 (Loja Jardim Imperial).

O objetivo da ação em conjunto é ajudar os protetores de animais da cidade. Além de ração, os organizadores aceitam produtos de higiene, medicamentos e insumos para pets.

A parceria da Cobea com o moto clube Insanos MC é inédita e vai ajudar diversos protetores da cidade. "A nossa ideia é ajudar os protetores de animais nessa causa tão nobre. Nossa expectativa é que as doações aumentem ao longo dessa semana", disse Luciano Fiuza, subdiretor da divisão de Petrópolis do moto clube Insanos MC.

Além disso, o governo municipal também vai promover neste sábado (27) uma nova etapa da campanha de adoção de animais. A ação acontecerá na Praça Dom Pedro, no centro da cidade, das 10h às 15h. O objetivo é estimular a posse responsável com a frase "Não compre, adote". Também serão recolhidas rações para ajudar os protetores da cidade.

A primeira etapa realizada no dia 13/02 foi considerada um sucesso, com a adoção de seis animais (três adultos e três filhotes). Para adotar é preciso ser maior de idade, além de ter em mãos o documento de identidade, CPF e um comprovante de residência.

Os protetores interessados em participar das próximas etapas podem fazer contato com a Cobea através do telefone: (24) 2291-1505 ou por e-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Mais de mil visitantes estiveram no Parque Natural Municipal Padre Quinha, na Avenida Ipiranga, nos cinco dias de funcionamento após a reabertura. O local voltou a funcionar no feriado de carnaval (16), após a prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente, realizar uma série de melhorias no local. Entre elas estão a nova pintura do pórtico de entrada, vistoria e limpeza da trilha menor (cerca de 650 metros) e da sala da Guarda Civil.

O Parque Natural voltou a funcionar com aferição de temperatura na entrada, disponibilização de álcool em gel e com a exigência do uso de máscara, respeitando o decreto municipal publicado pelo governo municipal no último dia 5 de fevereiro.

O horário de funcionamento do espaço é de 8h30 às 17h30, de terça a domingo. Às segundas, o local ficará fechado para limpeza e remarcação de trilhas. Por conta da pandemia, grupos maiores de 10 pessoas que querem visitar o Parque Natural têm que avisar com antecedência a visita. O telefone para contato é o (24) 2246-9234.

O Parque Natural conta com área de 16,7 hectares com estágio avançado de Mata Atlântica. O local oferece um amplo espaço de ar puro, tranquilidade, com mesas e bancos disponíveis para refeições.

O local está registrado no Cadastro Nacional de Unidades de Conservação do Ministério do Meio Ambiente. Pertence ao Mosaico da Mata Atlântica Central Fluminense. Está inserido na APA-Petrópolis e na Reserva da Biosfera da Mata Atlântica.

Segunda, 15 Fevereiro 2021 - 13:35

Parque Natural será reaberto na próxima semana

O Parque Natural Municipal, na Avenida Ipiranga, será reaberto na próxima terça-feira (16). A Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, está preparando o espaço com ações de pintura do pórtico de entrada, vistoria e limpeza das trilhas, entre outros serviços, para garantir a receptividade aos visitantes.

Para a reabertura, a secretaria está assegurando o cumprimento de todo o protocolo da Vigilância Sanitária. Na entrada, haverá aferição de temperatura, disponibilização de álcool em gel e será exigido o uso de máscara, respeitando o decreto municipal publicado no último dia 5 de fevereiro, que autorizou o funcionamento do espaço e também do Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso)

O horário de funcionamento do espaço permanece de segunda a domingo, de 8h30 às 17h30.

Vinte mudas de árvores foram plantadas nas margens do Rio Piabanha, no Duarte da Silveira, em uma ação conjunta entre a Prefeitura, através da Secretaria de Meio Ambiente e Comdep, Inea e a equipe do projeto Cílios D’Água. O gesto, realizado nesta segunda-feira (08/02), teve como objetivo lembrar o Dia do Agente de Defesa Ambiental, comemorado em 6 de fevereiro. A parceria é uma extensão do trabalho iniciado em janeiro, lembrando vítimas da Covid-19 na cidade.

Foram plantadas mudas de mulungu, paineira, angico e imbaúba, árvores leguminosas nativas da Mata Atlântica e que tem como principal característica a fixação de nitrogênio no solo. Segundo Eduardo Pinheiro, chefe da Revis Serra da Estrela – órgão ligado ao Inea, essas espécies se adaptam bem às margens de rio.

"O nitrogênio desempenha papel fundamental na planta, sendo diretamente ligado a composição de aminoácidos e proteínas. Escolhemos árvores nativas, mudas que vão crescer rapidamente nesse lugar, contribuindo com a qualidade da água", explicou Eduardo.

A Secretaria de Meio Ambiente destacou a parceria do governo municipal com a sociedade civil, através do projeto Cílios D'Água, com a ideia é estender o plantio de árvores para toda margem do Rio Piabanha, sempre com o apoio da comunidade no entorno. 

Segundo Luiz Salgueiro, idealizador do projeto Cílios D'Água, a continuidade do trabalho vai trazer diversos benefícios para o município. O reflorestamento das margens dos rios contribui com a quantidade e qualidade da água disponível, retém os sedimentos e parte dos poluentes químicos, evitando a poluição das águas.

“A mata ciliar possui a função de conservar o ambiente ao redor de rios e redes de drenagem. Preservar essa vegetação ajuda a combater a escassez de água, além de melhorar a absorção para os lençóis freáticos. Vamos continuar com essas ações em parceria com o governo municipal, Inea e outros entes”, disse Luiz.

Os parques municipais e a sede do Parque Nacional Serra dos Órgãos (Parnaso) foram autorizados a reabrir em Petrópolis. O decreto permitindo o funcionamento dos locais e as regras sanitárias que devem ser seguidas foi publicado no Diário Oficial (DO) do dia 5 de fevereiro de 2021. O documento, que tem como base nota técnica da saúde, leva em consideração o controle da taxa de ocupação de leitos hospitalares.

Dessa maneira, o Parque Natural Municipal de Petrópolis, na Avenida Ipiranga, voltará a funcionar. Parque Cremerie e Parque Municipal, em Itaipava, já estavam abertos. A sede do Parnaso, em Corrêas, também está autorizada a reabrir, de acordo com as regras sanitárias previstas pelo município e também portaria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

O decreto determina o uso obrigatório de máscara, exige o distanciamento mínimo de dois metros entre os sofás, mesas, cadeiras e bancos dos espaços comuns, além de manter fechados, até que haja condições de perfeita sanitização, os centros de visitantes, banheiros, campings e bebedouros. Os parques terão que disponibilizar solução sanitizante aos visitantes e também para os funcionários.

Trabalho vai lembrar as vítimas da covid-19

A Prefeitura, por meio da Secretaria de Meio Ambiente, e a equipe do projeto Cílios D'Água, fez, hoje, o plantio das primeiras 40 mudas de árvores de um projeto ambiental, além de estimular a conscientização sobre a importância da preservação e do reflorestamento, como memória aos moradores de Petrópolis que não resistiram à Covid-19. O trabalho começou às margens do Rio Piabanha, na Duarte da Silveira, e contou com a presença do prefeito interino e de representantes Projeto Água e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

O primeiro homenageado pelas equipes foi Paulo Leite, que faleceu em setembro do ano passado vítima da Covid-19. Ele era funcionário da secretaria de Meio Ambiente. Paulo foi um dos fundadores do Comitê Piabanha e um grande defensor das causas ambientais e dos direitos humanos, como explica lembra a esposa dele, Adriana Hutter de Souza Leite.

"Apesar de todo o momento de dor, de perda, é um conforto para nós da família. Temos uma gratidão enorme pelo que ele deixou para a cidade. Ele não lutava apenas pelo Meio Ambiente, mas também pelos direitos humanos. Sempre pensou no outro, buscando um mundo melhor", disse Adriana, emocionada, ressaltando, ainda, o orgulho que os filhos sentem pela luta dele.

"Meu pai sempre lutou pelas águas, pela natureza, por isso ele participava de todas as unidades de conservação da cidade. Ele deixou um legado para a nossa família. Esperamos que com essa ação a gente consiga deixar um grande exemplo para as próximas gerações, como ele fez pela gente. Estou muito emocionado com esse momento", contou Cainã Hutter, filho de Paulo Leite, que estuda Biologia e faz parte do projeto Cílios D'Água.

O plantio será realizado ao longo da extensão do Rio Piabanha que abrange Petrópolis. Segundo Luiz Salgueiro, idealizador do projeto Cílios D'Água, é necessário envolver a população para que ela cuide dos locais após o plantio das mudas. “O envolvimento das pessoas é fundamental. Não é só chegar e plantar. Existe um cuidado após o plantio e a gente precisa que os vizinhos, os moradores dos locais, nos apoiem neste sentido”, disse.

A ideia de convidar o Projeto Água e o Inea para a atividade partiu do secretário de Meio Ambiente.

O governo municipal fará nesta semana uma homenagem às vítimas da covid-19 na cidade, plantando mudas de árvores para cada morador de Petrópolis que não resistiu à doença. A iniciativa, da Secretaria de Meio Ambiente, contará com o apoio de integrantes do projeto Cílios D'Água, criado por um grupo de petropolitanos para ajudar no reflorestamento de rios e lagos do município. A primeira ação, que vai contar com o apoio do Projeto Água e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), será realizada nesta terça-feira (19/01), às 10h, no Duarte da Silveira, quando serão plantadas 40 mudas de árvore.

Um dos primeiros homenageados será Paulo Leite, que faleceu em setembro do ano passado vítima da Covid-19, e que era funcionário da secretaria de Meio Ambiente. Paulo era pai de Cainã Hutter, um dos envolvidos no projeto Cílios D'Água. "Meu pai fazia esse trabalho na beira de rios, e com certeza, serviu de inspiração para todos nós”, pontuou Cainã.. 

 A escolha do primeiro bairro foi feita pelos amigos do Cílios D'Água, que serão os responsáveis por cuidar do espaço após o plantio. O projeto foi criado para ajudar na proteção e preservação das beiras de rios e lagos, e por isso, o nome remete à mata ciliar. O grupo abraçou a ideia da homenagem às vítimas da Covid-19.

 “Queremos que a população faça parte deste projeto, esteja envolvida, para cuidar desses locais. Não é só plantar. Escolhemos o Duarte da Silveira porque somos vizinhos do lugar onde ocorrerá o plantio e vamos fazer essa manutenção. Além disso, abraçamos a ideia da prefeitura, de homenagear as vítimas do coronavírus. "É justo com as famílias e com a cidade”, explicou Luiz Salgueiro, idealizador do projeto.

O quadro técnico da Secretaria de Meio Ambiente está sendo reorganizado para agilizar os processos de licenciamento, vistorias para poda ou corte de árvores, além da fiscalização de crimes. Outro objetivo da pasta é investir no trabalho de educação ambiental e de bem-estar animal nas escolas da rede municipal. O Meio Ambiente também dará atenção as áreas rurais do município, realizando ações e atividades em parceria com o Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

Segundo o secretário de Meio Ambiente, a educação ambiental tem um papel muito importante na sociedade, porque forma cidadãos mais participativos em assuntos relacionados às questões de responsabilidade socioambiental.

Entre 2019 e 2020, dentro do Programa de Revitalização de Políticas Públicas das Áreas Rurais, foram instaladas fossas sépticas, além de filtros para o tratamento de esgoto, no Bonfim. O trabalho aconteceu em uma parceria da prefeitura com o Inea, Ministério Público e Comitê Bacias do Piabanha.

Representantes da prefeitura visitaram hoje (14.12) o transbordo de lixo que passou a operar de forma totalmente adequada no início deste ano. O detrito que é coletado em toda cidade não é mais depositado no chão – todo resíduo sai dos caminhões direto para as carretas que fazem o transporte para o aterro de Três Rios. Mais de 20 anos de dano ambiental agora fazem parte do passado de Petrópolis, fruto de um esforço de feito nos últimos dois anos para realizar obras no local.

Toda a operação do transbordo ocupa apenas cerca de 1,5 mil m² da área total do terreno, que fica no km 79 da BR-040 (Duarte da Silveira). A obra que foi feita no local é um muro de contenção que criou um andar superior, para onde vão os caminhões com o lixo coletado, enquanto as carretas ficam na parte de baixo – que agora é impermeabilizado. O detrito é despejado direto nas carretas. Antes, durante duas décadas, era necessário depositar os resíduos no chão e depois colocar nas carretas. Esse cenário não existe mais.

A área inferior recebeu a impermeabilização com uma camada de 16 centímetros de concreto. O espaço onde é feito o despejo do lixo tem uma cobertura para impedir o contato de águas pluviais e também uma tela para evitar que o vento arraste resíduos para a rodovia. Foi implantado um sistema de drenagem em todo terreno. Também há placas solares para gerar energia para o sistema de iluminação.

O local também está recebeu o plantio de cerca de 1,5 mil mudas de espécies nativas, com um ipê plantado no local onde mais era despejado, no centro do terreno – o objetivo é deixar como um marco da mudança radical do terreno, que agora respeita por completo o meio ambiente.

TAC com MP, prefeitura e órgãos ambientais

Todo processo de adequação do transbordo de lixo foi acompanhado de perto pelo Ministério Público Federal, pelo ICMBio e pela APA Petrópolis. Além dessas obras, outros pontos determinados pelo TAC que foram providenciados pela PDCA – empresa que faz o transporte do lixo para o aterro de Três Rios e opera o transbordo – foram a limpeza da área de entorno do transbordo, instalação de tapume para que o lixo não seja arrastado para a pista, a diminuição da área utilizada no terreno. A empresa ainda fez uma pista de desaceleração e outra de aceleração, para evitar que os caminhões trafeguem com velocidade baixa na rodovia.

Hoje, cerca de 310 toneladas de lixo são coletadas diariamente em toda cidade. O serviço passa em mais de 1,6 mil ruas ou localidades, de segunda a sábado ou então com intervalos de 48 horas. Todo resíduo coletado é levado para a estação de transbordo e colocada rapidamente nas carretas para o transporte.

Mais de 10 mil metros quadrados foram consumidos pelo fogo desde à madrugada de segunda-feira

Incêndio foi criminoso e homem já foi preso pela Polícia Civil

Nesta terça-feira (28/07) o prefeito acompanhou o trabalho das equipes que combatem um incêndio florestal de grandes proporções em Araras. A força tarefa, comandada pelo Corpo de Bombeiros, conta com 72 homens, 19 viaturas e uma aeronave. Mais de 10 mil metros quadrados – o equivalente a 10 campos de futebol – já foram consumidos pelo fogo, que começou na madrugada da última segunda (27). O responsável pela queimada foi identificado e preso ontem por policiais civis da 106ª DP de Itaipava.

As equipes estão divididas entre as áreas do Cobiçado, na entrada do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, da Reserva de Biológica de Araras e do Vale das Videiras. A aeronave do Corpo de Bombeiros é usada para deixar os homens na área de mata e fazer o lançamento de água em pontos estratégicos da região. Por terra, as viaturas seguem trilhas para efetuar o combate.

“Eram cinco anos sem um incêndio dessa proporção na Rebio-Araras. As chamas começaram na beira da estrada, em uma zona de amortecimento, chegando até a área da reserva”, explica a chefe da Reserva de Biológica de Araras, Isabela Bernardes. “Ontem eram 10 mil metros quadrados de área queimada, a nossa estimativa é que nesse número suba para 15 mil metros hoje”, conta o comandante do 15º GBM.

De acordo com os militares, nos últimos dois meses, foram registrados 120 incêndios florestais em Petrópolis. No ano passado, entre abril e setembro, foram 196 casos. “Segundo nossas estatísticas, 98% das queimadas na cidade são causadas pelo homem, ou seja, são situações que podem e devem ser evitadas”, disse Gil Kempers.

Além do Corpo de Bombeiros, participam da operação equipes da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, Guarda Civil, através do Grupamento de Proteção Ambiental, INEA, ICMBio e IBAMA.

Pagina 6 de 47