Aval às obras foi dado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

O aval às obras de reforma do Palácio de Cristal foi reafirmado à Prefeitura, nesta segunda-feira (2), pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Em reunião no escritório técnico do Iphan na Região Serrana, no Centro, o secretário municipal de Obras, Habitação e Regularização Fundiária, Almir Schmidt, expôs o andamento dos trabalhos ao representante regional do instituto, Thiago Fonseca, reforçando o diálogo retomado junto com o reinício da reforma, no início de abril.

O projeto de reforma abrange serviços internos e externos. Na edificação, o trabalho inclui a recuperação da instalação elétrica, cobertura e piso, assim como a pintura da estrutura de ferro; fora, a restauração do jardim e a melhoria dos passeios. Além de atender aos requisitos de acessibilidade para pessoas com deficiência, as obras vão melhorar a segurança e o conforto dos visitantes na parte externa, com substituição do piso de saibro por pavimento de fulget, feito com granulado de pedras.

O secretário Almir Schmidt destacou como saldo da reunião “o entendimento e o diálogo para devolvermos aos petropolitanos e turistas o Palácio de Cristal”, tombado como patrimônio histórico e arquitetônico pela União. Ao lado de Schmidt, estiveram na reunião o subsecretário Aldir Cony dos Santos, a diretora de projeto da secretaria, Virna Jacomo, e o coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica da Prefeitura, Thiago Damaceno. Pelo Iphan, participou também a arquiteta Cláudia Rocha, do escritório serrano.

A Prefeitura está trabalhando em nove obras de contenção na cidade: Avenida Piabanha, Rua Saldanha Marinho, Rua Afrânio Melo Franco (Quitandinha), Rua Coronel Veiga, Avenida Barão do Rio Branco, Rua Bingen e ponte de Corrêas. Somente na Rua Bingen, são três contenções.

Os nove pontos são margens de rios que cederam com as chuvas de 15 de fevereiro e 20 de março. Para a recuperação dessas margens, a Prefeitura, por meio da Secretaria de Obras, está construindo muros de gabião (estruturas de pedras armadas com telas metálicas).

"Os estragos causados pelas chuvas deste ano foram sem precedentes. As encostas, as ruas e as margens dos rios foram duramente atingidos, comprometendo o funcionamento da cidade. A Prefeitura está trabalhando nesses nove pontos, para que sejam recuperados o quanto antes e de forma segura, com contenções de qualidade", disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Das nove obras, quatro já estão mais avançadas: Avenida Piabanha, Rua Saldanha Marinho e duas na Rua Bingen. As outras cinco estão em estágio inicial.

Para as nove obras, a Prefeitura utiliza recursos da União e da Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), encaminhados ao município em função das chuvas de 15 de fevereiro. Há ainda, nessas obras, recursos próprios do município, como contrapartida aos recursos recebidos.

Portão será instalado no local e somente moradores cadastrados vão poder passar pela área

A Prefeitura fez a demolição do muro que separa a Rua do Túnel e a antiga fábrica de veludo. A área vai funcionar como rota alternativa segura para moradores de áreas que não foram interditadas pela Defesa Civil.

Um portão será instalado no local, e somente moradores cadastrados poderão passar pela área, assim como serviços essenciais, como a coleta de lixo e ambulâncias. A rota segura passa por dentro da antiga fábrica, com saída pelo portão principal, na Rua Quissamã (já próximo ao Itamarati).

A Prefeitura chegou a um acordo amigável com o proprietário do local. “A medida foi tomada em comum acordo para garantir a acessibilidade e segurança dos moradores, após conversa que contou com a colaboração da Procuradoria-Geral do Município”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Durante uma audiência com o poder judiciário e a Prefeitura, realizada no dia 24 de março na 4ª Vara Cível, o Governo do Estado ficou com a responsabilidade fazer a obra emergencial no túnel extravasor do Rio Palatino - no trecho do Quissamã e também na entrada do túnel, na Rua Souza Franco, no Centro.

Ainda ficou estabelecido um prazo de 45 dias para que o Governo do Estado e o INEA iniciem a obra, com previsão de seis meses para a conclusão da obra.

A Prefeitura cobra da gestão estadual, desde 2014, as intervenções para garantir segurança dos moradores.

Estão previstas intervenções na parte elétrica, revestimento de paredes, tetos e piso e impermeabilização do espaço

A Prefeitura de Petrópolis retomou as obras de reforma do Palácio de Cristal, no Centro Histórico. No projeto estão previstas intervenções na parte elétrica, revestimento de paredes, tetos e piso, impermeabilização do espaço, além de limpeza dos vidros, remoção de pichação dos monumentos históricos, pintura interna e externa, entre outras ações. O escopo engloba tanto o palácio como as portarias e gradil externo.

O processo de licitação para contratação da empresa que está executando as intervenções foi realizado em fevereiro e teve como empresa selecionada a Engeprat Engenharia e Serviços Ltda. A execução da obra foi publicada em Diário Oficial nesta terça-feira (5).

“O Palácio de Cristal é um dos atrativos turísticos mais importantes da cidade. As obras estavam acontecendo apenas na parte externa e abrimos licitação para garantir que o palácio também fosse restaurado. Precisamos resgatar a imagem de Petrópolis e aos poucos retomar o turismo, que é um setor econômico importante da nossa cidade”, ressaltou o prefeito Rubens Bomtempo.

Para a secretária de Turismo, Silvia Guedon, a reforma vai garantir que o local seja usado com segurança. “O Palácio de Cristal é nosso aparelho cultural mais emblemático. É palco de inúmeros eventos e é um símbolo da nossa cidade fora do país. A reforma era necessária”, pontua.

Sobre o Palácio de Cristal

Sua estrutura pré-moldada em ferro fundido foi encomendada a uma fundição francesa pelo Conde D’Eu, sendo montada em Petrópolis pelo engenheiro Eduardo Bonjean. Foi inaugurado em 1884 com a finalidade de abrigar as já tradicionais exposições de produtos hortícolas e pássaros da região, que aconteciam em instalações provisórias no local. No Palácio, em abril de 1888, foram libertados os últimos escravos de Petrópolis com a presença da Princesa Isabel.

Ação acontece após acordo amigável com proprietário da antiga fábrica de veludo

A Prefeitura chegou a um acordo amigável com o proprietário do prédio onde funcionou a antiga fábrica de veludo, na Rua do Túnel, possibilitando um acesso alternativo seguro aos moradores do local.

Nesta terça-feira (5), o muro que separa o terreno da rua será demolido. Um portão será instalado e moradores cadastrados poderão passar pela área, bem como serviços essenciais, como a coleta de lixo e ambulâncias.

A Prefeitura vem atuando no local com a interdição da via e a iluminação de LED, além da abertura de um CRAS volante. Além disso, os buracos foram cercados. A obra está sob responsabilidade do Governo do Estado, que já iniciou sondagem.

Verbas vindas da Alerj e do Governo Federal estão sendo destinadas para as intervenções

Equipes da Comdep e da Secretaria de Obras já estão fazendo a recuperação de vias e das pontes atingidas pelo temporal do dia 15 de fevereiro em Petrópolis. As intervenções acontecem em várias partes da cidade, como no Centro Histórico (Praça da Liberdade, avenidas Piabanha e Koeler, entre outros) e em Corrêas.

“Aos poucos a cidade vai voltando à normalidade. Essas obras vão garantir a mobilidade e segurança dos pedestres e motoristas. Na semana passada junto com as prefeituras do Rio e Niterói fizemos a limpeza de várias ruas. O trabalho de recuperação da cidade continua junto com os trabalhos dos bombeiros e Defesa Civil no resgate das vítimas”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O vice-prefeito e secretário de Obras, Paulo Mustrangi explica que parte das verbas provenientes da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e do Governo Federal foi destinada para essa recuperação emergencial. “Estamos arrumando o guarda corpo da ponte de Corrêas que foi levado pela enxurrada e também de outras pontes. Também já iniciamos algumas obras de contenção”, explicou.

Prefeitura, agora, aguarda remanejamento da fiação das empresas de internet, telefonia e TV a cabo

O projeto de construção da rotatória na entrada do Carangola continua avançando. Os novos postes foram instalados neste domingo (13) pela Enel Distribuição Rio e a Prefeitura aguarda, agora, o remanejamento das instalações das empresas de telefonia e TV a cabo para dar início às obras.

“Acompanhamos a reposição da rede para liberar o espaço para construção da baia e devolver a pracinha para região. Esse é um trabalho que vai qualificar a União e Indústria”, esclareceu o prefeito Rubens Bomtempo.

Sobre o novo projeto

Com a construção da nova entrada do Carangola, o ponto do ônibus será instalado ali, junto à pracinha central. Além disso, o acesso ao Carangola para quem sair dos distritos em direção ao bairro será alargado. As obras no local preveem o remanejamento de dois postes (com a migração das redes elétricas e de telefonia para as novas estruturas); o recuo do ponto do ônibus que sai dos distritos em direção ao Centro; o alargamento do acesso ao Carangola para quem sai dos distritos; a devolução da pracinha central à população (com asfaltamento e acessibilidade para pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida); e a mudança do ponto dos ônibus que descem o Carangola em direção ao Centro (que ficará mais acima, antes da entrada de acesso ao Construmil).

Intervenção permitirá a instalação de um recuo para o ponto de ônibus

A construção da nova entrada do Carangola teve um importante avanço no último fim de semana: a Prefeitura instalou um novo poste na pracinha central no domingo (6). O antigo poste, que fica alguns metros mais perto da via principal (Rua Hermogênio Silva), está previsto para ser removido neste mês, quando também será realizada a migração da fiação para a nova estrutura.

O remanejamento do poste possibilitará que seja instalado um recuo para o ponto dos ônibus que saem dos distritos em direção ao Centro. Dessa forma, com o recuo, o tráfego na via principal sentido Centro não será mais interrompido para o embarque e o desembarque de passageiros do transporte público coletivo.

Com a construção da nova entrada do Carangola, o ponto desses ônibus será instalado ali, junto à pracinha central, que será devolvida à população, reformada. Além disso, o acesso ao Carangola para quem sair dos distritos em direção ao bairro será alargado. Para isso, outro poste será remanejado.

Os remanejamentos dos dois postes são custeados pela Prefeitura e executados pela Enel Distribuição Rio (empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica em Petrópolis).

Mudança no projeto

Para a implantação de uma rotatória na entrada do Carangola, um terreno às margens da via que dá acesso ao bairro (Estrada do Carangola) foi desapropriado no ano passado pelo então governo interno. No entanto, a implantação da rotatória nos moldes do projeto apresentado pelo governo passado exigiria uma desapropriação maior do que a que de fato foi realizada.

As obras para a construção da nova entrada do Carangola preveem, portanto: o remanejamento de dois postes (com a migração das redes elétricas e de telefonia para as novas estruturas); o recuo do ponto do ônibus que sai dos distritos em direção ao Centro; o alargamento do acesso ao Carangola para quem sai dos distritos; a devolução da pracinha central à população (com asfaltamento e acessibilidade para pessoas com deficiência e com mobilidade reduzida); e a mudança do ponto dos ônibus que descem o Carangola em direção ao Centro (que ficará mais acima, antes da entrada de acesso ao Construmil).

Intervenções foram possíveis através de parceria entre MPF, Prefeitura e a empresa ANURB

As obras de melhoria da estrada que dá acesso ao Quilombo do Tapera devem ser entregues ainda nesta semana. As intervenções no local foram possíveis devido a uma ação conjunta entre a Prefeitura, o Ministério Público Federal e a empresa ANURB, por acordo judicial para a conversão de valores definidos em sentença em ações de melhoria para a comunidade local, que beneficiarão a 18 famílias que residem na localidade.

Ao todo, foram cerca de 500 metros de asfalto, roçada de vegetação nas vias de acesso, limpeza de canaletas e melhorias do sistema de drenagem. Os locais escolhidos foram apontados pelos próprios moradores como mais críticos. A Secretaria de Obras disponibilizou parte do material e de canaletas para as melhorias no escoamento de águas pluviais. Já a ANURB, contratou a Agromax e Serpav para a realização dos serviços.

“O quilombo é importantíssimo para a nossa história e cultura. Essas ações são fundamentais para garantir que os moradores tenham condições de ir e vir, além de beneficiar projetos que eles estão elaborando para o desenvolvimento do local. A integração entre o poder público, o MPF e o setor privado também foi fundamental”, disse o vice-prefeito e secretário de Obras, Paulo Mustrangi.

Em dezembro, Mustrangi esteve no Quilombo da Tapera, juntamente com o procurador da República, Charles Stevan da Mota, o líder comunitário quilombola Adão Cassiano, técnicos da Secretaria de Obras e representante da ANURB. A comitiva, à época, definiu o que seria feito no local. A empresa elaborou o projeto e a Prefeitura ficou com parte da supervisão das obras.

O MPF acompanha a comunidade há mais de 10 anos. “Essas intervenções atenderam a uma boa parte da estrada, que eram os trechos mais críticos”, disse o procurador Charles Stevan da Mota, ressaltando que os moradores terão um acesso melhor, principalmente para as crianças quando forem à escola.

“Essa melhoria é muito boa para nós da comunidade, não só para o dia a dia, mas também nos ajuda a receber nossos visitantes e aí, poderemos trabalhar. Temos um sonho de trabalhar com turismo de base comunitária e o acesso é essencial para recebermos visitantes”, afirmou Cassiano.

Funcionários da Companhia cuidam do importante ponto de encontro de lazer para petropolitanos e turistas

A Companhia Municipal de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) está promovendo a revitalização dos espaços urbanos no Centro Histórico. Nesta quinta-feira (27.01) as equipes estiveram na Praça da Liberdade, importante ponto de encontro de petropolitanos e referência para turistas e visitantes.

“A Praça da Liberdade é um dos nossos cartões postais. Já faz parte das memórias de muitos petropolitanos e está registrada em muitas fotografias de quem vem nos conhecer”, destacou o prefeito Rubens Bomtempo.

O chafariz recebeu pintura; estátuas e bustos passaram por limpeza e manutenção; calçadas foram lavadas; o acervo botânico também recebeu atenção dos servidores com corte de grama e plantio de novas mudas.

“Criamos um cronograma que vai atender diferentes áreas do Centro Histórico. Começamos pelo Bosque do Imperador na semana passada, também recuperamos o Relógio das Flores e nesta semana Praça da Liberdade. Outros pontos receberão nossas equipes nas próximas semanas”, garante Léo França, diretor-presidente da Comdep.

Ipê Amarelo é destaque na Praça da Liberdade

Esta semana o Ipê Amarelo localizado no entorno da Praça da Liberdade floresceu. A árvore garante belos registros e encanta quem passa pelo local. A florada dura aproximadamente 15 dias. O Ipê é árvore símbolo da cidade e tem um dia dedicado a ele no município: 28 de junho.

Pagina 2 de 88