Ao mesmo tempo, os equipamentos substituídos estão sendo reciclados e instalados em locais sem iluminação pública

O programa Petrópolis Iluminada já fez a instalação de 450 luminárias de LED em São Sebastião, Posse, Atílio Marotti, Siméria e Bairro da Glória – neste último, o serviço está em andamento. Mas além desse trabalho, que torna a rede iluminação pública mais eficiente, também está sendo feita extensão de rede reaproveitando os equipamentos que deram lugar ao LED. Nesta quinta-feira (23/07), por exemplo, a Rua Crescêncio da Costa, em Itaipava, recebeu 13 novos pontos de luz.

Para dar lugar ao LED, os funcionários destacados para o serviço retiram luminárias, braços de sustentação e reatores. Todos esses equipamentos passam por reciclagem e limpeza e serão usados agora em ruas e servidões, também nos bairros.

O mesmo processo vai acontecer com a fase atual do Petrópolis Iluminada. Os equipamentos retirados dos bairros serão reciclados e vão atender locais que ainda não contam com iluminação pública. O cronograma prevê a substituição de mais de 1,7 mil pontos em 28 bairros até novembro. Nesta quinta, por exemplo, o trabalho de instalação de LED teve sequência na Rua Nossa Senhor da Glória (Bairro da Glória).

O serviço de instalação de LED realizado agora é fruto de um planejamento feito pelo Departamento de Iluminação Pública, que levou em consideração os índices de iluminação estabelecidos pela ABNT para cada tipo de rua atendida. Lâmpadas comuns com potências 70 a 250 watts estão sendo substituídas por luminárias de 50 a 180 watts – ou seja, reduzem o gasto de energia. Além disso, esses equipamentos têm maior durabilidade, demandando menos manutenções. Por esses dois fatores, a estimativa é que a economia com as 1,7 mil luminárias instaladas neste momento passe de R$ 100 mil em um ano.

A comunidade Manga Larga, em Itaipava, foi mais uma atendida com o serviço de aplicação de asfalto pelo programa Prefeitura Presente. O prefeito acompanhou o trabalho realizado no local nesta quarta-feira (22.07).

Em quase sete meses deste ano, o programa já promoveu 477 ações de aplicação de asfalto em 304 localidades de 52 bairros. Nesta quarta, também foram atendidas a Comunidade do Veludo e a Rua Miguel Odorico Fintelman (Duarte da Silveira), Rua Quissamã (Quissamã), Hívio Naliato (Cascatinha), Carneiro Dias (Samambaia) e Stephanie Goetnauer (Castelânea).

Um dos objetivos com esse trabalho é proporcionar trajetos mais confortáveis para os veículos, com menos quebras de carros e menos atrasos. Os cinco distritos contam com 234 linhas de ônibus que fazem mais de cinco mil viagens diariamente.

Além do tapa-buraco, outros serviços de limpeza, iluminação pública, pintura de meio-fio e sinalização de vias são reforçados nas comunidades, somando o serviço feito diariamente pela Comdep e secretarias de Obras e de Serviços.

411 lâmpadas comuns já foram substituídas pelas luminárias com a tecnologia que ilumina mais

O programa Petrópolis Iluminada já instalou 411 luminárias de LED em um mês de trabalho. O trabalho já foi concluído no São Sebastião, Posse, Atílio Marotti e Siméria e, agora, está avançando no Bairro da Glória. Depois da troca de lâmpadas comuns de 13 pontos de luz, nesta terça-feira (21/07) o serviço teve sequência em outro trecho da Rua Nossa Senhora da Glória.

O cronograma dessa etapa prevê a instalação de mais de 1,7 mil luminárias em 28 bairros até novembro. Esse trabalho é o mesmo que foi realizado nos últimos dois anos em 34 ruas do Centro, com 735 luminárias instaladas.

O serviço realizado agora é fruto de um planejamento feito pelo Departamento de Iluminação Pública, que levou em consideração os índices de iluminação estabelecidos pela ABNT para cada tipo de rua atendida. Lâmpadas comuns com potências 70 a 250 watts estão sendo substituídas por luminárias de 50 a 180 watts – ou seja, reduzem o gasto de energia. Além disso, esses equipamentos têm maior durabilidade, demandando menos manutenções. Por esses dois fatores, a estimativa é que a economia com as 1,7 mil luminárias instaladas neste momento passe de R$ 100 mil em um ano.

Empresa contratada pelo Dnit faz intervenções no sistema de drenagem da pista

A reforma da Estrada União e Indústria continua avançando com serviços no sistema de drenagem da pista. O trabalho nesta terça-feira (21/07) ocorreu próximo à 105ª DP, no Retiro, sendo o quinto ponto de escoamento que recebe intervenções. Essa ação vai ajudar a manter as condições da pista, que receberá uma camada nova de asfalto em quase 25 km desde a Av. Barão do Rio Branco até Pedro do Rio. A obra é responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e executada pela empresa Santa Luzia.

Antes da pandemia, a União e Indústria registrava movimento de 100 mil pessoas por dia, o que reforça a importância dessa obra. A troca de pavimento vai contribuir com a redução do número de acidentes ao longo da rodovia e também será vital para ajudar no desenvolvimento econômico do município.

Além da pavimentação e da drenagem, também estão previstos outros pontos ao longo do trabalho, como intervenções em calçadas, baias de ônibus, sinalização, entre outros. Rio Branco e o Roseiral. Em trecho já nos distritos, estão previstas 10 obras de contenção, que podem ser feitas simultaneamente à pavimentação no trecho mais próximo ao Centro.

A prefeitura tem projetos para melhorar a mobilidade urbana e o trânsito na entrada do Carangola, Correas, Bonsucesso e Itaipava e busca alinhar junto ao Dnit para poder executar essas intervenções junto ao cronograma da reforma.

A reforma da quadra esportiva da Comunidade do Alemão continua avançando. Os funcionários da empresa responsável pela obra estão montando as ferragens para a cobertura do espaço, após terem nivelado novamente o terreno. A pedido dos moradores da localidade, o piso da quadra será de pó de pedra. O prefeito esteve no local nesta sexta-feira (17.07) para verificar o andamento dos trabalhos.

Além da cobertura e do nivelamento, o projeto da obra também prevê intervenções no piso, colocação de refletores de LED, instalação de traves, entre outros. A quadra é muito usada pelos moradores do bairro, principalmente, pelas crianças e adolescentes.

Sidnei Furtado, morador da Comunidade do Alemão, mantém um projeto social que atende 46 jovens. "Essa reforma da quadra com a instalação da cobertura é fundamental, porque treinar criança debaixo de chuva é complicado. Aqui a gente consegue retirar as crianças das ruas, oferecendo esporte”, disse ele, conhecido na comunidade como “Tide”.

A obra é executada pela empresa Colônia e representa um investimento de R$ 529 mil. Além dessa, as quadras que ficam nas comunidades Vila São José e Oswaldo Cruz também já estão passando por reformas. No Vale do Carangola e no Amazonas (Quitandinha), os trabalhos terão início em breve. Essas cinco quadras representam investimento de quase R$ 2,15 milhões – recursos vindos do Ministério do Esporte (hoje, Ministério da Cidadania).

Projeto elaborado pela prefeitura prevê quase 2 mil novos pontos criados em locais onde precisa ser criada a infraestrutura elétrica

Cronograma contempla mais de 500 ruas e conta também com substituições lâmpadas comuns de 15 mil pontos já existentes por luminárias de LED

O programa Petrópolis Iluminada vai expandir a atuação. Além da substituição de lâmpadas comuns por LED que está em execução em 28 bairros, também será feita extensão de iluminação pública em locais onde é necessário fazer toda infraestrutura elétrica para viabilizar a instalação – incluindo todo cabeamento, postes, luminárias e outros equipamentos. Para isso, a prefeitura fará um registro de preço para contratação do serviço.

O projeto contempla 517 ruas de 47 bairros ou comunidades em todos os distritos. Nesses locais, os trechos que ainda não contam com iluminação pública terão toda instalação feita – são 1.988 pontos de luz novos que estão programados. Além disso, nessas mesmas ruas, mas onde os moradores já são atendidos com lâmpadas comuns, será realizada a substituição por luminárias de LED para que todo local tenha iluminação padronizada – 14.967 trocas. No total, são 16.955 luminárias de LED programadas para esses locais.

Projeto pode render economia de quase R$ 2 milhões

Um dos exemplos citados pelo Departamento de Iluminação Pública é a localidade Jacuba, na Posse. Todo trecho nessa localidade ao longo da Estrada União e Indústria não tem iluminação pública e nem a infraestrutura necessária para isso. A iluminação só é feita pelos faróis de veículos que passam no trecho, o que aumenta o risco de acidentes.

“As luminárias de LED trazem maior segurança para motoristas no trânsito e também mais tranquilidade para pedestres, porque elas iluminam mais os ambientes e ressaltam mais os objetos, construções, monumentos. O LED pode iluminar até 60% mais que uma lâmpada comum”, destaca o engenheiro elétrico e um dos responsáveis pelo Departamento de Iluminação Pública, Leônidas Mattos.

Este novo projeto prevê a instalação de luminárias de LED de 60, 80, 100 e 180 watts de potência. Já as lâmpadas comuns que estão previstas a substituição são de 84, 117, 172 ou 280 watts de potência (incluindo lâmpada e reator). Todo projeto foi feito com base nas normas da ABNT para iluminação de cada tipo de via.

O projeto que o Departamento de Iluminação Pública elaborou será executado de acordo com a disponibilidade financeira, ou seja, se foi possível realizar todo trabalho, em um ano serão 16.955 mil novas luminárias de LED, sendo 1.988 pontos novos criados em locais onde é necessário construir toda a rede. O levantamento do Departamento indica uma economia de R$ 1,9 milhão durante um ano de uso das luminárias de LED – caso todo projeto seja executado. Isso porque, além do menor consumo de energia, a tecnologia do LED tem maior durabilidade, o que exige menos manutenções e troca de lâmpadas.

Registro de preço

A licitação que será aberta pela prefeitura é na modalidade registro de preço. Neste sistema, as empresas interessadas em fornecer o serviço apresentam ofertas de preço para cada item do edital pelo prazo de um ano. Com o valor definido, a prefeitura determina quais serviços serão efetivamente prestados e paga somente por aquilo que foi executado. E cada serviço só será feito de acordo com a disponibilidade orçamentária do município.

O recurso que será utilizado para custear esse projeto vem a Contribuição de Iluminação Pública, um mecanismo criado em 2002 para ser usado nos serviços de iluminação pública. A lei que criou a CIP estabelece que ela seja utilizada para o pagamento do consumo de energia e também para manutenção, eficientização, melhorias e ampliação do sistema de iluminação pública.

A CIP é calculada sobre a tarifa básica de energia elétrica definida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de acordo com o consumo de cada moradia ou imóvel não-residencial – quem consome menos, contribui menos. Por exemplo, uma casa que consome até 100 kw/h fica isento. Já os imóveis não-residenciais que ultrapassam 2.000 kw/h fazem a maior contribuição.

Cabe ressaltar que o projeto foi analisado e autorizado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), que analisou o edital e todos os croquis elaborados pelo Departamento de Iluminação Pública.

Durante a 1ª fase do Programa, 177 fossas foram colocadas em residências rurais no Bonfim

O prefeito anunciou, nessa segunda-feira (13.07) o início da 2ª fase do Programa de Revitalização de Políticas Públicas das Áreas Rurais, que consiste na instalação de fossas sépticas em residências da área rural. Agora, o programa será implantado no Caxambu. Iniciativa do poder público possibilitado por intermédio de uma parceria com o Inea, Ministério Público, Emater e Comitê Bacias do Piabanha, o Programa de Revitalização de Políticas Públicas das Áreas Rurais do município tem como objetivo conscientizar a população sobre o destino correto do lixo e cuidado com a água, além de possibilitar a qualidade do recurso hídrico captado para o abastecimento da comunidade. A primeira fase do programa ocorreu no Bonfim, onde foram instaladas 177 fossas sépticas. Agora, no Caxambu, serão colocadas mais 70. Mas, o número pode chegar a 200.

As famílias da região serão cadastradas para receberem o kit que conta com fossas, filtros, tubos e conexões que perfazem o valor unitário de R$ 1.732,98. Já há um levantamento prévio, mas, por meio de um trabalho em conjunto, o Departamento de Agricultura e o Inea visitarão as residências e confirmarão com as famílias, quando vai ocorrer a colocação em cada terreno. As primeiras fossas já chegaram no Caxambu, na localidade conhecida como Comunidade Três Pedras.

Nesse primeiro momento serão instaladas 70 fossas no Caxambu, mas, o trabalho terá continuidade. A colocação de fossas colabora com o abastecimento público de água potável. “Também na drenagem urbana, uso correto do solo entre outros. A ideia não é a só a de colocar as fossas nessas casas, mas, também, de capacitar os moradores a usar corretamente esse instrumento que contribui com a preservação do meio ambiente”, explicou o diretor do Departamento de Agricultura, José Maurício Soares.

O programa prevê, na sua totalidade, a instalação de cerca de 423 fossas sépticas e filtros para o tratamento de esgoto. A viabilização do programa também conta com a destinação de TACs (Termo de Ajuste de Conduta) para aquisição de kits.

O trabalho conta ainda com o suporte da Águas do Imperador, Secretaria de Obras e Meio Ambiente. Vale ressaltar que, no final de junho, foi aprovado, pelo Senado, o Marco Legal do Saneamento Básico que prevê uma meta de 99% da população com água potável em casa até dezembro de 2033 e meta de 90% da população com coleta e tratamento de esgoto até dezembro de 2033. Com o Programa de Revitalização de Políticas Públicas das Áreas Rurais, Petrópolis se mostra, mais uma vez, a frente de outros municípios.

Agricultor há 50 anos no Caxambu, Joaquim Gonçalves da Costa, parabenizou a ação. “Muito importante a colocação de fossas. Eu tenho na minha casa, outros agricultores também têm, mas, alguns vizinhos ainda não tiveram a chance de colocar nas suas propriedades, por isso, essa iniciativa é maravilhosa. A gente sabe que o resultado é positivo para toda a comunidade”, contou.

Também participaram da visita Edmardo de Oliveira Campbell, superintendente Regional do Piabanha- SUPPIB-INEA e o vereador Hingo Hammes.

Mutirão do Bairro: Mata Banco, no Caxambu, recebe concretagem de rua

Durante a visita no Caxambu, o prefeito conferiu de perto a concretagem na localidade conhecida como Mata Banco, em mais uma ação do Mutirão do Bairro: uma parceria entre a prefeitura e os moradores vai permitir melhorias na estrada, ajudando a escoar a produção agrícola dessa região.

Cerca de 150 famílias vivem da produção rural em todo o Caxambu e aproximadamente 35 pessoas estão participando do mutirão: a prefeitura fornece os materiais necessários e faz a orientação técnica para promover melhorias como pavimentação em concreto, drenagem e colocação de meio-fio em uma servidão. Também é oferecido acompanhamento técnico para que a obra aconteça dentro dos padrões exigidos. Já os moradores entram com a mão de obra.

O programa já passou por comunidades nos bairros Duarte da Silveira, Estrada da Saudade, Centro, Araras, Manga Larga, Mosela, Sargento Boening, Comunidade do Alemão, além do Caxambu.

Trabalho no bairro teve início após conclusão no São Sebastião, Posse e Atílio Marotti

O programa Petrópolis Iluminada começou a fazer instalação de luminárias de LED no Siméria. A substituição das lâmpadas comuns teve início ainda na quinta-feira (09.07) e, na manhã desta sexta, o prefeito acompanhou o serviço na Rua Manoel Francisco de Paula. A programação inclui também a Rua Presidente Sodré e o planejamento inicial prevê a colocação da tecnologia em 106 pontos de luz.

Até novembro, mais de 1,7 mil luminárias serão instaladas em 28 bairros. Até aqui, o trabalho já foi concluído no São Sebastião – onde foram colocadas 155 luminárias em oito ruas –, na Posse – com 73 substituições feitas na Rua Nossa Senhora de Fátima – e no Atílio Marotti – que teve 69 lâmpadas comuns trocadas por LED.

“É maravilhoso ter essa troca para o LED, é tecnologia, é o futuro, é sustentável, é menos manutenção e, o melhor, mais econômica. Sem contar, que a visualização é bem mais confortável do que as lâmpadas atuais”, afirmou a presidente da Associação de Moradores do Siméria, Jeniffer Nascimento.

O serviço realizado agora é fruto de um planejamento feito pelo Departamento de Iluminação Pública, que levou em consideração os índices de iluminação estabelecidos pela ABNT para cada tipo de rua atendida. Lâmpadas comuns com potências 70 a 250 watts estão sendo substituídas por luminárias de 50 a 180 watts – ou seja, reduzem o gasto de energia. Além disso, esses equipamentos têm maior durabilidade, demandando menos manutenções. Por esses dois fatores, a estimativa é que a economia com as 1,7 mil luminárias instaladas neste momento passe de R$ 100 mil em um ano.

Esta é a quarta fase do programa. Nas três anteriores, 735 luminárias foram instaladas em ruas do Centro. Agora, além de São Sebastião, Posse, Atílio Marotti e Siméria, o trabalho vai passar por: Bairro da Glória, Independência, Comunidade do Neylor, Carangola, Comunidade do Alemão, Itaipava, Madame Machado, Morin, Quissamã, Castelânea, Sargento Boening, Chácara Flora, Alto da Serra, Estrada da Saudade, Cascatinha, Pedro do Rio, Dr. Thouzet, Valparaíso, Bairro Esperança, Nogueira, Boa Vista, Mosela, Quarteirão Brasileiro e Quitandinha.

Na Posse, trabalho foi concluído na Rua Nossa Senhora de Fátima com 73 luminárias instaladas

O programa Petrópolis Iluminada iniciou a substituição de lâmpadas comuns por luminárias de LED no Atílio Marotti. O prefeito esteve no local na manhã desta terça-feira (07.07) e acompanhou a instalação. Este é o terceiro de 28 bairros que estão na programação para receber o trabalho até novembro, com mais de 1,7 mil luminárias no total. Na madrugada, o serviço foi concluído na Posse.

No último distrito, o trabalho aconteceu na Rua Nossa Senhora de Fátima, onde foram colocadas 73 luminárias. Antes, o São Sebastião teve 155 luminárias instaladas. No Atílio Marotti, são 69 luminárias programadas. Esse trabalho torna a rede de iluminação pública mais eficiente, porque a tecnologia do LED permite iluminar mais com menor consumo de energia, além de demandar menos manutenções.

O serviço realizado agora é fruto de um planejamento feito pelo Departamento de Iluminação Pública, que levou em consideração os índices de iluminação estabelecidos pela ABNT para cada tipo de rua atendida. Lâmpadas comuns com potências 70 a 250 watts estão sendo substituídas por luminárias de 50 a 180 watts – ou seja, reduzem o gasto de energia. Além disso, esses equipamentos têm maior durabilidade, demandando menos manutenções. Por esses dois fatores, a estimativa é que a economia com as 1,7 mil luminárias instaladas neste momento passe de R$ 100 mil em um ano.

Esta é a quarta fase do programa. Nas três anteriores, 735 luminárias foram instaladas em ruas do Centro. Agora, além do São Sebastião e da Posse, o trabalho vai passar por: Atílio Marotti, Bairro da Glória, Independência, Comunidade do Neylor, Carangola, Comunidade do Alemão, Itaipava, Madame Machado, Morin, Quissamã, Castelânea, Sargento Boening, Chácara Flora, Alto da Serra, Estrada da Saudade, Cascatinha, Pedro do Rio, Dr. Thouzet, Valparaíso, Bairro Esperança, Nogueira, Boa Vista, Mosela, Quarteirão Brasileiro, Siméria e Quitandinha. O planejamento do serviço de instalação das luminárias de LED se estende até novembro.

O Mata Banco, no Caxambu, é mais um local a receber o Mutirão do Bairro. Uma parceria entre a prefeitura e os moradores vai permitir melhorias na Rua Alberto Pullig, ajudando a escoar a produção agrícola dessa região. Um trecho de 30 metros já recebeu concretagem e o restante da pista ainda vai receber mais 35 metros cúbicos de concreto. O serviço teve início nesta segunda-feira (06.07).

Cerca de 150 famílias vivem da produção rural em todo o Caxambu. Cerca de 35 pessoas estão participando do mutirão, como é o caso de Roberto Antunes, que é pedreiro e já foi presidente da associação de moradores do local. "O apoio do prefeito ao nosso mutirão é muito importante. Vai ser uma ajuda imensa para escoar a produção, com a pavimentação do terreno", disse.

Outro morador que está participando do mutirão é José Farroco, de 58 anos, que é agricultor na região. “A gente agradece o apoio e as melhorias que a prefeitura está trazendo para o Caxambu. A concretagem vai nos ajudar a escoar a produção, já que vendemos não só para as feiras aqui da cidade, mas também para o Ceasa”, contou.

No Mutirão do Bairro, a prefeitura fornece os materiais necessários e faz a orientação técnica para promover melhorias como pavimentação em concreto, drenagem e colocação de meio-fio em uma servidão. Também é oferecido acompanhamento técnico para que a obra aconteça dentro dos padrões exigidos. Já os moradores entram com a mão de obra.

O programa já passou por comunidades nos bairros Duarte da Silveira, Estrada da Saudade, Centro, Araras, Manga Larga, Mosela, Sargento Boening, Comunidade do Alemão, além do Caxambu.

Pagina 13 de 90