Um dos símbolos da cidade, praça teve bancos revitalizados, corte de grama, limpeza do jardim e chafariz recuperado

O Bosque do Imperador, no Centro, está sendo completamente recuperado pela Prefeitura, por meio da Comdep e da Secretaria do Meio Ambiente. A bomba do chafariz foi recuperada; os bancos, pintados; o parquinho foi reconstruído; e outras ações de manutenção também foram feitas, como a limpeza do jardim e o corte de grama.

O presidente da Comdep, Léo França, ressaltou a importância de fazer a manutenção frequente nas áreas públicas da cidade. “As praças têm muita importância para a população. Com o grande fluxo de pessoas que frequentam e passam diariamente por elas, percebe-se a necessidade de preservação do espaço. Mantendo o local limpo e organizado, todos podem usufruir da melhor forma”, destacou.

Além disso, as praças são as principais responsáveis pela presença de vegetação na cidade, como destacou o secretário de Meio Ambiente, Carlos Alberto Muniz. “As árvores auxiliam na manutenção do clima, evitando ilhas de calor, melhorando a qualidade do ar e aumentando a biodiversidade. Esse trabalho de revitalização colabora para deixar a cidade ainda mais bela e promover mais espaços de lazer para todos os moradores e turistas”, afirmou.

Secretaria de Obras desenvolve projeto para contenção da encosta

A Prefeitura iniciou, nesta semana, o trabalho de retirada das barreiras da Rua Pedro Elmer, que liga o Itamarati a Cascatinha. A via está com acesso liberado apenas aos moradores desde as fortes chuvas do início do mês, por conta de um deslizamento de terra. Sem a previsão de chuva, equipes da Comdep e da Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública conseguiram se dirigir ao local.

Nesta quarta-feira (19), o governo municipal esteve no local, no trecho localizado atrás do Clube Palmeira. Ele também visitou a rua de cima: uma servidão na Spartaco Banal, que fica acima da Rua Pedro Elmer.

“A Rua Pedro Elmer é uma via é estratégica para a fluidez no trânsito, por ser uma ligação alternativa entre Itamarati e Cascatinha, duas regiões que cresceram muito nas últimas décadas”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

Neste primeiro momento, o governo municipal fará um mutirão no local, que precisa de uma série de intervenções. O objetivo é devolver a normalidade à região o quanto antes.

“Estamos providenciando os reparos necessários para liberar a via o mais rápido possível. Mas, devido ao tamanho do problema no local onde houve o deslizamento, será necessária uma obra de grande porte, com muro de contenção e tudo para poder garantir a segurança das pessoas. A Secretaria de Obras já está desenvolvendo um projeto para tentar captar recursos para fazer essa obra o mais rápido possível”, disse o vice-prefeito e secretário de Obras, Habitação e Regularização Fundiári, Paulo Mustrangi.

A Comdep também já está atuando na limpeza da região. Já foi feita a limpeza da parte de baixo da rua, e agora será feita a limpeza da parte de cima.

“Vamos entrar com a capina, poda, limpeza e depois vamos lavar a rua com a pipa d’água”, disse o presidente da Comdep, Léo França.

O prefeito Rubens Bomtempo destacou a grande quantidade de lixo encontrado na rua de cima.

“Os deslizamentos têm relação direta com a colocação de lixo e entulho nas encostas, e aqui é prova disso. Tem que acabar com isso na nossa cidade. Vamos limpar tudo isso, colocar contêineres. Mas o povo tem que se conscientizar. Não tem outra saída. Temos que nos organizar, chamar associação de moradores, chamar os moradores para esse diálogo. A única saída que existe para nós melhorarmos a nossa cidade é essa. A cidade precisa parar de jogar lixo e entulho nas encostas”, disse Bomtempo.

Postes serão retirados e projeto será readequado, pois terreno desapropriado é menor do que área originalmente prevista

O projeto de implantação de uma rotatória na entrada do Carangola teve um avanço na manhã desta terça-feira (18). Como a área disponível para as obras é menor do que a exigida pelo projeto original, a Prefeitura irá readequar o projeto. Para isso, dois postes da rede elétrica precisarão ser remanejados. A Prefeitura custeará o serviço, que será realizado pela Enel Distribuição Rio (empresa responsável pelo fornecimento de energia elétrica em Petrópolis) em 30 dias.

Esse cronograma foi acertado na manhã desta terça-feira (18), em reunião entre o prefeito Rubens Bomtempo e representantes da Enel Distribuição Rio, da CPTrans e da Secretaria de Obras, Habitação e Regularização Fundiária.

“A CPTrans está acompanhando de perto a questão. A Secretaria de Obras também está acompanhando de perto a questão. Chamamos a Enel para ver o que poderia ser feito. Como é uma obra importante para o município, a Prefeitura custeará o serviço”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O presidente da CPTrans, Jamil Sabrá, falou da importância da rotatória para a cidade.

“É uma obra importante para a fluidez do trânsito, principalmente no corredor de acesso aos distritos. No entanto, nós constatamos que ajustes precisam ser realizados, para que o projeto seja viável”, disse o presidente da CPTrans, Jamil Sabrá.

Para a implantação da rotatória, um terreno às margens da via que dá acesso ao Carangola (Estrada do Carangola) foi desapropriado no ano passado pelo então governo interno. No entanto, a implantação da rotatória nos moldes do projeto apresentado pelo governo passado exigiria uma desapropriação maior do que a que de fato foi realizada.

Por isso, para contornar esse problema e viabilizar a rotatória, a Prefeitura irá remodelar o projeto dentro da área disponível. Os postes que serão remanejados ficam: um na subida do Carangola, e outro próximo ao ponto de ônibus da via principal (Rua Hermogênio Silva) no sentido Centro.

Parceria entre MPF e Prefeitura permitirá obras na região, a partir de um TAC

O vice-prefeito e secretário de Obras, Paulo Mustrangi, esteve nesta quarta-feira (22) no Quilombo da Tapera (Vale da Boa Esperança) para debater as melhorias que a estrada que dá acesso à comunidade receberá. Mustrangi esteve acompanhado do procurador da República, Charles Stevan da Mota, de técnicos da Secretaria de Obras e do líder comunitário Adão Cassiano. As intervenções no local serão possíveis através de uma parceria entre a Prefeitura e o Ministério Público Federal e os recursos serão oriundos de Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), no valor de cerca de R$ 300 mil.

“Essa parceria é muito importante para as 18 famílias que residem naquela comunidade. É importante que tenhamos ações que garantam melhorias aos moradores de lá”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

O acesso a comunidade tem aproximadamente dois quilômetros de extensão. A equipe definiu que a melhor estratégia será a aplicação de asfalto. Mustrangi destaca como a parceria entre a Prefeitura e o MPF possibilitará melhorias para a comunidade.

"Agora, com estas obras, será possível que cerca de 70 moradores tenham um acesso digno e coloquem em prática o projeto de turismo de base comunitária”, afirmou.

Os técnicos presentes ficarão responsáveis pela elaboração de um projeto detalhado com o que será necessário para as intervenções. Com isso, o projeto será custeado por empresas que assinarem o TAC junto ao MPF. A Prefeitura também ficará responsável pela supervisão das obras.

“É uma compensação ambiental, que ainda precisa ter homologação do juízo. Mas já estamos tentando preparar todos os termos”, disse o procurador Charles Stevan da Mota, lembrando que o objetivo é que os fundos do TAC sejam revertidos em benefício do município. “O que queremos, com o auxílio do poder público, é ter uma intervenção permanente”, disse.

O líder comunitário Adão Cassiano também mostrou o espaço que está sendo construído para a implementação do turismo de base comunitária. Lá, o objetivo é oferecer opções de alimentação para os visitantes e também de reuniões para o grupo. A melhoria na estrada vai possibilitar que o sonho de Cassiano se torne real: de ver a comunidade se tornando auto sustentável.

“Temos um projeto de turismo de base comunitária, mas é preciso ter um bom acesso para que as pessoas cheguem à comunidade. E não só isso, também para o nosso, para que possamos procurar médico e as crianças não tenham problemas com o transporte escolar”, afirmou.

O trabalho da equipe de arqueologia desvendou mais de duas mil peças, ligadas ao passado do palácio. Hoje, os arqueólogos buscam mapear a localização original do cruzeiro.

O governo interino anunciou o início, nesta quinta-feira (2), de uma nova etapa nas obras do Palácio de Cristal. Sob a supervisão de arqueólogos, as equipes da empresa que executa as intervenções no espaço vão avançar com o trabalho para a instalação da rede subterrânea de cabos e de tubulações. Com autorização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - Iphan, o serviço será feito nas áreas onde o trabalho de arqueologia já foi concluído.

“Este é mais um passo importante. O trabalho de arqueologia que foi determinado pelo Iphan segue em andamento, mas conseguimos autorização para avançarmos, paralelamente, com as demais intervenções do projeto. Tudo será feito com o acompanhamento da equipe de arqueologia. Estamos trabalhando muito para, o quanto antes, concluirmos e reabrirmos o Palácio à visitação”, afirmou o governo interino.

A reforma do Palácio de Cristal foi iniciada em 2019 e interrompida, no ano seguinte, pelo Iphan, que identificou a existência de material com potencial valor histórico, durante as escavações realizadas para a obra. Em 2021, a atual gestão da Prefeitura atendeu às exigências do órgão federal e retomou os trabalhos. “Enquanto arqueólogos vieram executando as escavações de pesquisa, tivemos a reforma dos banheiros, assim como a instalação de um novo piso na entrada, substituindo o saibro. Agora, as escavações para a instalação da rede elétrica e de esgoto serão iniciadas, com o monitoramento dos arqueólogos, para que isso não interfira no trabalho de levantamento histórico, que vem sendo realizado desde maio”, informa o secretário de Obras, que esteve hoje (1) no Palácio, em reunião com o gerente de obras da Engeprat, Cláudio Mills de Carvalho. “As próximas ações previstas são a instalação de um novo passeio, com piso tátil”.

O município também vai fazer melhorias no próprio palácio após a conclusão dos trabalhos na área externa.

Busca pela localização original do cruzeiro

O trabalho arqueológico no jardim do Palácio de Cristal vem buscando desvendar a história menos visível do espaço. Examinando os vestígios que estão além do que revela a estrutura imponente, pré-fabricada na França, na cidade de Arras, como encomenda às oficinas da Société Anonyme de Saint-Sauveur, de inspiração no Crystal Palace de Londres. Desde maio, mais de duas mil peças, entre pedaços de louças inglesas usadas pela elite do século XIX e de stoneware, foram encontradas. Algumas já estão expostas na entrada do que hoje é um ponto turístico. A maior parte, no entanto, foi encaminhada para análise em laboratório no sul Fluminense.

Desde setembro, os arqueólogos passaram a investigar um outro mistério ligado ao espaço. Nas fotos e gravuras do passado, havia um cruzeiro, que hoje está em um local diferente. “Esse cruzeiro ficava na frente do palácio, pelo que mostram as fotos do início do século passado. Aproximadamente, a cinco metros de distância. Reproduzimos a mesma foto, que foi tirada a partir do que hoje é a entrada do espaço, e conseguimos, com um trabalho de sobreposição de imagem e mapeamento a laser, identificar o provável ponto onde ele ficava”, revela Giovani Scaramella, diretor da empresa Grifo Arqueologia.

Já a gravura feita pelo artista Otto Reimarus, em 1854, a partir do palácio, em direção à rua Alfredo Pachá (onde se dá o acesso atual ao ponto turístico), revela outra hipótese a ser investigada: a de que o cruzeiro, antes mesmo da existência do Palácio de Cristal, era um ponto de adoração de fiés católicos, que vieram para a cidade a partir da colonização alemã. “Na análise é possível perceber que há uma espécie de oratório. Em volta, uma cerca. E, à frente, a imagem de uma pessoa com os braços erguidos. Nas nossas pesquisas, especialmente voltadas para os hábitos religiosos do povo alemão, que migrou para a cidade neste período, chegamos às Flurkreuz (cruz de piso, no alemão). Elas eram comumente instaladas em países da Europa como a Alemanha, em caminhos de peregrinação de fiés católicos. Antes do Palácio de Cristal já existia o uso social desse espaço. A Praça da Confluência, que ficava no lugar onde se encontravam os rios Quitandinha e Piabanha, surgiu em 1846 e a primeira notícia de uma atividade oficial na praça foi uma missa em homenagem à vinda dos colonos alemães. Em 1846, pelas pesquisas de historiadores locais, identificamos a possibilidade de existência de três cruzes como esta. A segunda, próxima à catedral São Pedro de Alcântara e uma terceira, cuja localização não foi identificada”, contextualiza a historiadora e educadora patrimonial da Grifo, Roselene Martins.

A historiadora ainda lembra que só a partir de 1870 o espaço começou a receber as primeiras exposições de hortícolas, como frutas, legumes, plantas e flores. “Era como se fosse uma feira de elite”, ressalta. “Essas exposições, que ocorriam uma vez por ano, faziam tanto sucesso que, a partir da ideia de Pedro II de um espaço permanente para elas, o Conde d’Eu, marido da Princesa Isabel e presidente da Sociedade Agrícola de Petrópolis, inspirado no Crystal Palace de Londres, encomendou o palácio pré-fabricado, que representa um momento em que a monarquia estava se mostrando atual para o século XIX. Trazer esse prédio de vidro e ferro inspirado nos ingleses, que eram o suprassumo da revolução industrial, simbolizava uma monarquia moderna, o que deveria ser a marca do Segundo Reinado”, afirma Roselene, que lembra que o palácio só foi inaugurado em 1884. “Há nesse espaço uma história a ser resgatada que é anterior ao palácio”.

Desde o dia 28 de setembro, uma nova demarcação de escavações foi feita na frente do Palácio de Cristal. Depois que a primeira etapa do trabalho concluiu o peneiramento dos 324 metros de trincheiras no aterro que compõe o jardim, os arqueólogos passaram a buscar evidências da estrutura original do espaço. Entre elas, a base do cruzeiro que já havia sido identificada nas fotos do século XX. “Foi traçada a demarcação para a nova trincheira. Esta com um metro de largura, um metro e meio de profundidade e 25 metros de comprimento. É um trabalho mais minucioso, para buscar a história em camadas anteriores à construção e utilização desse espaço nos séculos passados”, revela o diretor da empresa de arqueologia que informa que já é possível identificar vestígios de uma pavimentação anterior ao palácio. “Há pedras que são diferentes do padrão que encontramos nas outras escavações que podem ter sido parte do que era o caminho de acesso ao cruzeiro”.

Os técnicos identificaram ainda o ponto onde possivelmente estava instalado o cruzeiro. “Tanto o mês de outubro, quanto o início de novembro, dificultaram o trabalho porque trouxeram dias muito chuvosos. Mas, já conseguimos dar andamento às escavações no ponto demarcado onde estaria o cruzeiro. Encontramos uma espécie de sapata, uma estrutura de sustentação. Além disso, até agora, identificamos nove diferentes camadas de sedimentação de aterros no espaço. O próprio palácio foi construído em cima de um aterro de 40cm, elevado ainda por uma base de também 40cm. O que mostra que havia uma preocupação com as inundações que a praça da Confluência sofria no passado”, informa o mestre em arqueologia Kedma Gomes, que veio de Lisboa e coordena desde maio os trabalhos no Palácio de Cristal.

A interdição começa às 8h30 e dura até o fim da montagem da atração, que faz parte do Natal Imperial

A Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes (CPTrans) interditará totalmente neste domingo (28), a partir das 8h30, a passagem de veículos na Rua 16 de Março, no Centro Histórico. A intervenção é para a montagem do Túnel de Luz, uma das atrações do Natal Imperial 2021.

“Nos anos em que fez parte da programação da festa, o Túnel de Luz foi uma das atrações mais procuradas pelos moradores da cidade e pelos turistas. Ela volta para tornar especial o Natal de todos que estiverem na nossa cidade nesta época do ano”, destaca o governo interino.

O Túnel de Luz, com cerca de 100 metros de comprimento, será formado por milhares de lâmpadas, que apagam e acendem, sincronizadas com músicas natalinas. Durante o Natal Imperial, serão realizados espetáculos de 30 em 30 minutos, das 19h às 21h, a partir do dia 4 de dezembro. A atração seguirá, todos os dias, até 9 de janeiro.

“Além do trabalho de montagem neste domingo, o funcionamento do Túnel de Luz também vai resultar no fechamento total da via nos dias e horários em que os espetáculos acontecem. Ou seja, sempre das 19h às 21h. Por isso, pedimos para que os motoristas evitem esse trecho nesse período do dia”, destacou o diretor-presidente da CPTrans, lembrando que as interdições são importantes para dar segurança às pessoas que estiverem no local da atração.

A obra era aguardada há quase três anos por moradores

Foram mais de três anos de espera para a conclusão do muro de contenção na margem do rio Piabanha, no trecho da Rua Coronel Duarte da Silveira, Bingen, na altura do número 700 - próximo à antiga Fagam. Espera que foi encerrada nesta semana, com a entrega da obra, que teve início mês passado, após anúncio do governo interino. No local, ainda foi construído um muro gabião, na margem oposta, na servidão Pedro Voguel. A intervenção, contou com um investimento de R$ 323 mil.

“Desde o início do ano temos avançado muito com as obras de contenção. Muitas delas estavam aguardando solução há anos, o que também era o caso da rua Coronel Duarte da Silveira. Acompanhei o início desse trabalho e hoje estou feliz de poder apresentar o resultado. Conseguimos fazer todo o processo licitatório e ainda incluir na melhoria a recuperação da margem no trecho da Pedro Justen”, informou o governo interino.

Em 2018, o muro na margem do rio começou a ceder o que provocou também o afundamento de parte da Rua Coronel Duarte da Silveira. “Quando a nossa gestão assumiu a prefeitura nos comprometemos a tirar do papel obras que já estavam nessa fila de espera. Há pouco mais de dois meses entregamos a contenção no Rio Piabanha, no trecho do acesso ao Vila Militar, outra obra aguardada desde 2018”, conta o secretário de Obras.

Em julho, com recursos do município e apoio de empresários do bairro Carangola, foi feita também a recuperação da Rua Agostinho Bernardo Rodrigues, no Cidade Nova, Carangola. “Foram 15 metros de extensão de um muro gabião com dois metros de altura, ou seja, 30m² de muro. O trecho cedeu há alguns anos, o que vinha dificultando a passagem, especialmente de veículos pesados no local, muitos ônibus e caminhões, já que houve estreitamento da via”, lembrou o secretário de Obras.

O trabalho, iniciado nas Duas Pontes, deu nova pavimentação ao trecho que segue até a esquina com a Rua General Osório

A última etapa do trabalho de pavimentação com nova camada de asfalto quente (do tipo CBQU) na Rua Washington Luiz, no Centro Histórico, começa por volta das 22h desta quinta-feira (25). A obra realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Obras, começou no trecho das Duas Pontes e será concluído no encontro com a Rua General Osório. Além disso, as equipes de pavimentação urbana retomam até esta sexta-feira (26) o trabalho na região do Siméria.

“A Washington Luiz é uma das vias mais importantes da cidade, que dá acesso ao Centro Histórico e merecia essa melhoria. Já no Siméria, a reivindicação dos moradores era antiga e estamos entregando por meio do Acelera Petrópolis. Em cada lugar em que acompanho esse trabalho, vejo o impacto positivo que o asfalto traz para as pessoas, especialmente onde elas aguardavam há anos”, frisa o governo interino.

Bingen, Nogueira, Itaipava, Alto da Serra, Morin e Centro já foram beneficiados pelo serviço. Ao todo, mais de 60 ruas do município receberão as melhorias. “Na Washington Luiz o trabalho já avançou ao longo da semana e resta apenas a conclusão do trecho final da via. O objetivo é chegar até o ponto onde há o encontro com a Rua General Osório, onde será concluído", informou o subsecretário de Obras.

No Siméria, será retomado o trabalho na Rua Manoel Francisco de Paula, interrompido por conta da chuva. Ao todo, serão 2,2 km de pavimentação na região até o encontro com a Olavo Bilac.

Recentemente, a Secretaria de Obras pavimentou ainda as ruas Coronel Albino Siqueira, Cardoso Fontes, Napoleão Esteves e a Saldanha Marinho (no trecho entre o Alto da Serra e as Duas Pontes). Segundo o secretário de Obras, Maurício Veiga, em dezembro as ações do asfaltamento do Acelera Petrópolis serão concentradas nas comunidades. "Nesse momento de maior movimento nas áreas centrais da cidade, que recebem mais visitantes por conta do Natal, nós iremos focar em pontos onde o impacto na mobilidade urbana será menor", ressaltou.

A revisão do projeto proposta pelo município prevê a inclusão de rotatórias, melhorias na sinalização e reordenamento do trânsito em diferentes pontos. O DNIT anunciou nesta semana a liberação de mais de R$ 10 milhões para incluir as adequações do projeto.

Depois da sinalização positiva, na última semana, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT ao pedido feito pelo governo interino, para alterações no projeto de recuperação da Estrada União e Indústria, nesta sexta-feira (19), técnicos do órgão federal, da JDS Engenharia e Consultoria e da Santa Luzia Engenharia e Construções, que executam a obra na rodovia, percorreram os pontos onde as principais revisões foram solicitadas. A visita, que foi acompanhada pelo diretor-presidente da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes, e pelo vice-presidente da Comissão de Trânsito da Câmara de Vereadores, Maurinho Branco, teve como objetivo avaliar a viabilidade técnicas das intervenções pleiteadas pelo município. Nesta semana, o DNIT anunciou, em Brasília, a liberação de mais R$ 10 milhões para que sejam feitas correções no projeto.

"A obra de recuperação da estrada União e Indústria é um marco fundamental no planejamento da mobilidade urbana da nossa cidade pelas próximas décadas. O que temos como objetivo agora é garantir que seja entregue ao município um equipamento que ajudará a solucionar problemas antigos do trânsito. Reduzir o impacto do trânsito na vida das pessoas é fundamental, porque reduz acidentes, o tempo de deslocamento e consequentemente gera economia e mais investimentos na nossa cidade”, ressaltou o governo interino. “Estamos acompanhando de perto as obras executadas pelo DNIT para nos certificarmos de que elas tratam de avanços significativos nesse sentido. Já estive em Brasília para tratar diretamente do assunto", destacou.

Em Correas, o coordenador de engenharia do DNIT, Fernando Correa, e o coordenador geral do contrato, Sérgio Trece (da JDS Engenharia e Consultoria), além de técnicos do DNIT e da Santa Luzia, ouviram do diretor-presidente da CPTrans e do vice-presidente da Comissão de Trânsito da Câmara, as medidas necessárias para que a União e Indústria seja entregue não apenas com uma pavimentação e sinalização melhoradas, mas com soluções eficazes para problemas da mobilidade urbana. “Um dos pontos que apresentamos foi a necessidade de instalação de uma rotatória ou faixa de retorno no trecho da antiga Montreal e outra similar, próxima ao acesso à rua Visconde de Taunay, depois da ponte de Correas. A ideia é evitar que os veículos cruzem a pista fazendo conversão à esquerda. A entrada ou saída da ponte passa a ser feita com a conversão à direita, ou seja, sem cruzar a vias de sentido contrário, evitando assim o gargalo. Os retornos são as alternativas para quem faria a manobra para seguir tanto para o centro, quanto para os distritos”, informou o diretor-presidente da CPTrans.

Em outro ponto visitado nesta sexta-feira, uma situação semelhante. Hoje, quem vem do distrito de Itaipava já é obrigado a seguir mais uns metros adiante para fazer o retorno e somente então acessar Nogueira. “Com a revisão, seria construída uma nova rotatória mais à frente, próxima ao condomínio Bosque de Nogueira, e outra, alguns metros depois do acesso à Nogueira, no sentido Itaipava, próximo ao Hotel Buriti”, revela o diretor-presidente da CPTrans.

No pedido que foi apresentado na última semana pela Prefeitura e também reforçado pelo deputado federal Hugo Leal estão previstas, além da construção de novas rotatórias ao longo da estrada, correções e replanejamento na sinalização, além de recuos em alguns trechos da via. Aliado do município em Brasília, o deputado lembrou que, na última década, a cidade passou por importante reconfiguração na Estrada União e Indústria, com a chegada de novos empreendimentos. "Esta sempre foi uma via extremamente importante para o município, de grande movimento. Nos últimos anos, ainda tivemos a instalação de novos empreendimentos comerciais e residenciais que geraram um maior volume de veículos. A recuperação da Estrada União e Indústria é essencial não apenas para Petrópolis, mas para o Estado do Rio de Janeiro", avaliou.

Rotatória do Carangola

Enquanto conversa com o DNIT sobre a possibilidade de adicionar novas rotatórias no projeto, a Prefeitura já está trabalhando na obra da rotatória do Carangola, que está em execução desde setembro e conta com recursos próprios do município. "Ali temos um dos principais gargalos do trânsito. As conversões para acessar tanto o bairro Carangola quanto a Estrada da Saudade são responsáveis por retenções e congestionamentos. A mesma acontece em vários outros pontos da rodovia. Por isso, a construção de rotatórias podem ajudar a reduzir o impacto sobre o trânsito e melhorar a mobilidade. Na revisão que encaminhamos ao Dnit estamos pontuando não apenas essas melhorias na infraestrutura viária, mas também de sinalização, incluindo as correções que precisam ser feitas dentro da obra que já foi executada. Um desses exemplos é o trecho de acesso ao bairro Nogueira", destaca o diretor-presidente CPTrans, que lembra que, diariamente, cerca de 25 mil motoristas trafegam pela rodovia.

A obra é resultado de parceria público-privada e vai recuperar não apenas o monumento, mas também o centro de informação turística.

A Prefeitura, por meio da secretaria de Obras, deu início nesta quarta-feira (17) ao trabalho de recuperação do pórtico do Quitandinha, no principal acesso à cidade. A intervenção é resultado de parceria público privada e inclui, além da pintura, a recuperação do telhado, reforma e substituição de portas e janelas, bem como o restauro da infraestrutura. O trabalho deve estar concluído até o início de dezembro, quando começa a programação do Natal Imperial.

“O pórtico é o cartão de visita da cidade. E, por isso, é fundamental que a gente cuide desse patrimônio. Conseguimos o apoio de uma empresa para executar esse trabalho, que vai deixar o pórtico em condições de receber os turistas que visitam a cidade diariamente", ressalta o governo interino.

A obra teve início hoje. Ontem (16), pela manhã, o secretário de obras, ao lado do subsecretário de obras e do presidente da Companhia Petropolitana de Desenvolvimento - Comdep, junto com um representante técnico da empresa, estiveram na Avenida Ayrton Senna para organizar a intervenção. “A prioridade é finalizar primeiro a estrutura do pórtico. Estão sendo instalados andaimes nas duas torres para que seja executada a limpeza, pintura e a recuperação necessária na infraestrutura. O objetivo é executar esse trabalho com mínimo de impacto sobre o trânsito, que funcionará, quando necessário, nos mesmos moldes do período em que operaram as barreiras sanitárias. Ou seja, desviando pelas ruas laterais ao pórtico”, destacou o secretário de obras.

Além da recuperação do pórtico, também será recuperado o centro de informações turísticas, as áreas no entorno dos equipamentos e os canteiros. “Nossa equipe de paisagismo fará a renovação dos canteiros, para que fique ainda mais bonito do que é atualmente. Além disso, será feita a limpeza de toda a área no entorno”, destaca o presidente da Comdep.

“A reforma dos portais da cidade deixará as entradas de Petrópolis mais bonitas e atrativas. É importante para os petropolitanos e também os turistas. Além desta melhoria, a atual gestão tem investido em ações de fomento e organização da atividade turística, objetivando o fortalecimento do segmento e da economia no momento atual”, afirmou o secretário de Turismo.

Pórtico do Bingen também passará por restauro

Além do pórtico do Quitandinha, outro equipamento que também sofrerá intervenção é o de acesso ao bairro Bingen, que está localizado na avenida Lúcio Meira. “Já temos o projeto de recuperação, que também será executado em parceria com a iniciativa privada. Ali, além do restauro do pórtico, faremos uma adequação ao projeto original. A estrutura de madeira será pintada de vermelho, o restante de branco e marrom, seguindo o padrão original colonial alemão Enxaimel”, informa o secretário de Obras, acrescentando que a intervenção também começará nos próximos dias.

No passado, a estrutura seguia o estilo das construções introduzidas na cidade pelos colonos alemães que, em grande parte, habitaram a região do Bingen. O Enxaimel é uma técnica de construção na qual as paredes são montadas com vigas de madeira em posições horizontais, verticais ou inclinadas, cujos espaços são preenchidos com material de fácil utilização no local.

Pagina 3 de 88