A força tarefa da prefeitura em resposta às fortes chuvas continuou nesta quarta-feira (15.01). Na Rua Vassouras, no Quitandinha, as equipes trabalham na recuperação de uma rede de drenagem pluvial. O serviço está sendo realizado pelo município em parceria com a Águas do Imperador. Além disso, também foram realizados serviços de manutenção de calçamento e de aplicação de asfalto em ruas do Alto da Serra, Quitandinha, Centro, Castrioto, Itaipava, Nogueira e Mosela.

A prefeitura iniciou o serviço de manutenção de calçamento na região do Parque São Vicente. A aplicação de asfalto aconteceu nas ruas Napoleão Laureano, Albino Siqueira e Chile (Alto da Serra); Rio de Janeiro (Quitandinha); Santa Rita de Cassia (Castrioto); Rua Batista da Costa (Mosela); Estrada União e Industria (Itaipava) até a entrada de Nogueira.

Houve também a retirada de barreira nas ruas Glauce Rocha, no Independência, e Rio de Janeiro, no Quitandinha, e outra no Contorno (próximo da escola). Também foi feita a limpeza do túnel extravasor na Rua Antero Palma (Quarteirão Ingelheim).

São 540 ocorrências cadastradas na Defesa Civil entre os dias 2 e 14 de janeiro. O órgão trabalha para que o atendimento seja feito da melhor maneira no menor tempo possível. Até o momento, 19 imóveis estão interditados pela Defesa Civil, sendo oito na Rua Piauí, cinco na Rua Alagoas e mais um na Rua Rio de Janeiro, todos esses no Quitandinha.

Também estão interditadas casas na Rua Atílio Marotti, no Retiro, Rua dos Ferroviários, no Alto da Serra, Estrada da Saudade, Alto Independência e Mosela. Até o momento, 53 famílias foram atendidas no ponto de apoio do Quitandinha, na Rua Amazonas, que fica na Escola Municipal Stefan Zweig. E outras oito famílias em bairros como Mosela, Alto Independência e Estrada da Saudade. As famílias foram atendidas e cadastradas pela Secretaria de Assistência Social, que a partir da análise do perfil social individual irá verificar em que programa social cada uma delas deverá ser inserida.  

Parte do trabalho é feito pela concessionária e outra pela construtora responsável pela Minha Casa Minha Vida, ligando o condomínio à ETE Corrêas

A Águas do Imperador já iniciou as obras de construção da rede de coleta de esgoto para atender os futuros moradores do conjunto do Minha Casa Minha Vida do Vicenzo Rivetti. O trabalho será feito em conjunto pela concessionária e pela construtora responsável pelo MCMV Vicenzo Rivetti, a AB Construtora. O projeto prevê a implantação de cerca de 1 km de rede e uma elevatória entre a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Corrêas, onde será feito o tratamento do esgoto gerado pelos futuros moradores, e a região do Caetitu, que será feito pela concessionária. Já a construtora vai fazer 1,5 km de rede e uma elevatória. Os próximos passos da obra foram tema de reunião com integrantes do Movimento do Aluguel Social e Moradia de Petrópolis nesta terça-feira (27.03) na prefeitura.

O esgotamento sanitário será concluído em três meses. Todo trabalho está sendo feito não só para entregar os 776 apartamentos, como para proporcionar infraestrutura para os quase 3 mil futuros moradores. Por isso, está sendo feito pavimentação do entorno, sistema de drenagem e serão implantados ainda uma creche e unidade básica de saúde. Eles também receberam trabalho técnico-social, que vai ajudar na capacitação profissional dessas pessoas e também a organizar a gestão dos condomínios.

“O compromisso é uma obra de qualidade como a concessionária executa em toda a cidade. Já foi iniciado a obras com a rede subindo a Estrada do Caetitu e dali até o conjunto habitacional, a obra é com a AB. Tivemos uma reunião na semana passada em que apresentamos para eles o modelo de elevatória que será utilizada”, disse o superintendente da Águas do Imperador, Márcio Salles.

A líder do Movimento do Aluguel Social e Moradia de Petrópolis, Cláudia Renata Ramos, acredita que a reunião foi positiva por esclarecer, para pessoas que recebem o aluguel social, o andamento da construção do MCMV.

“Foi uma reunião muito boa. A gente achava que essa questão do esgoto cabia apenas à Águas do Imperador e aqui soubemos que não, que a construtora também tem responsabilidade nisso. O que a gente queria era um prazo, e agora a Águas do Imperador nos falou que a obra deles vai durar até três meses”, afirmou.

Cerca de 30 pessoas ligadas ao Movimento participaram da reunião, assim como a Federação de Associações de Moradores de Petrópolis (Famp) que  também esteve presente.

Terça, 12 Setembro 2017 - 19:14

Alto da Serra recebe operação tapa-buraco

O Alto da Serra recebeu serviço de tapa-buraco nesta terça-feira (12.09). A equipe de manutenção viária realizou o trabalho na Rua Alfredo Schilick, que dá acesso a Aldo Tamacoldi, Vila Felipe, Chácara Flora e Sargento Boening.

Nesta terça-feira, o serviço também aconteceu no Independência, complementando serviço iniciado na semana passada. Em pouco mais de oito meses, a manutenção viária já aconteceu em mais de 250 ruas de todos os distritos. Esse trabalho será intensificado após a realização da licitação para o serviço de tapa-buraco, que está marcado para o fim de setembro.

O local serve de passagem de nove linhas de ônibus, além vans escolares, caminhões que abastecem o comércio da região e os demais veículos de passeio. Durante todo o trabalho, diversos motoristas pararam para agradecer pelo serviço. Um deles foi a moradora do Sargento Boening, Sabrina Branco.  “A rua estava ruim, com muito buraco. Isso detona o nosso carro. Esse serviço ficou muito bom, vai ajudar todo mundo que passa por aqui”, aponta.

O trabalho foi feito por sete homens, com um caminhão e um rolo compressor. Foram aplicadas 15 toneladas de asfalto, suficiente para cobrir 120 m³ de buracos. O material utilizado é o chamado asfalto quente, que tem maior qualidade e durabilidade. 

Resolução do município segue orientação do Ministério Público Federal

Uma instrução normativa da prefeitura, determina que alvarás para a execução de obras particulares, assim como licenciamento ambiental, em áreas tombadas de toda cidade só podem ser concedidas por órgãos municipais com a autorização prévia do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ou do Instituto Estadual do Patrimônio Artístico e Cultural (Inepac) – de acordo com a respectiva área de competência. A iniciativa visa garantir a preservação das áreas tombadas em nível estadual e federal e segue uma recomendação do Ministério Público Federal. 

A instrução normativa que dispõe sobre os trâmites processuais de licenciamento ambiental e de obras particulares foi publicada no Diário Oficial do município do dia 7 de junho.

No caso de Obras a medida vale para licenciamentos de construção, reforma ou demolição: documento administrativo mediante o qual a Secretaria de Obras, Habitação e Regularização Fundiária atesta que o projeto de construção, reforma ou demolição atende a legislação vigente, e que existe um responsável técnico pela execução da obra.

Já na esfera ambiental a medida se aplica aos casos de supressão de vegetação no Centro Histórico, caso em que também será necessária a anuência do Iphan.

A instrução normativa visa normatizar as rotinas de trabalho entre o licenciamento ambiental de empreendimentos e atividades potencialmente poluidoras e a legalização e licenciamento de obras particulares.

Segundo a prefeitura, a Instrução normativa considerou a necessidade de regulamentar o trâmite interno dos processos de licenciamento ambiental e a necessidade de regulamentar o trâmite interno para Simples Aprovação e Licenciamento/Legalização de Construção, além de cumprir a recomendação do MPF e os princípios da transparência e da Moralidade Administrativa.

Foram 1665 pedidos de reparação de iluminação pública feitos pelo APP

Prestes a completar um ano em operação, o aplicativo Petrópolis IP, em que o cidadão pode pedir o reparo da iluminação alcança 100% de atendimento das solicitações realizadas pela plataforma digital.  Em quase 12 meses, foram 1665 pedidos atendidos praticamente de forma imediata. A tecnologia aliada ao conforto e praticidade para fazer a solicitação, é mais uma alternativa para o cliente criada pela Secretaria de Serviços e pela empresa responsável pelo trabalho, VitoriaLuz.

De 22.872 pedidos que a empresa recebeu dos petropolitanos em 2018, 7,28% foram feitos aplicativo. Os moradores também podem fazer a solicitação do serviço também pelo telefone ou pelo site da prefeitura, mas a expectativa é que cresça o número de pessoas optem por usar a plataforma digital. Para fazer o download do aplicativo – que é gratuito, o cliente deve ir na PlayStore do seu celular e procurar o aplicativo “Petrópolis IP”. O serviço está disponível, por enquanto, apenas para celulares com o sistema Android.

O morador do Caxambu, Antônio da Rocha Viera contou que está muito satisfeito. “O serviço é muito rápido e eficiente. Solicitei e logo vieram fazer o reparo. Já fiz por telefone também, mas realmente pelo celular é mais prático por conta da correria que a gente vive né! Fiquei bem feliz com o atendimento”, contou.

A cidade possui mais de 40 mil pontos de luz, sendo que as maiores demandas de manutenções são de lâmpadas apagadas à noite ou acesa durante o dia, lâmpada apagando e acendendo, poste, luminária ou braço da luminária danificado, fiação partida na via ou ainda luminosidade ruim. Os locais que mais solicitaram os serviços em 2018 foram Centro da cidade com 2.275; Itaipava com 1.354 e Quitandinha com 1.250. Foram registrados 3.941 pedidos por telefone e 17.066 serviços de manutenção de rotina.

“O serviço foi um benefício para população e para a prefeitura. O canal com acesso direto, agiliza o serviço para o petropolitano, assim como agora temos mais controle de todo trabalho realizado. Estamos a cada dia aprimorando mais o software para melhorar ainda mais o sistema”, ressaltou o engenheiro eletricista Leônidas Mattos, um dos responsáveis pelo Departamento de Iluminação Pública.

Ao clicar no ícone da iluminação pública, que fica na lista à direita, o morador é levado para a página remodelada pela Secretaria de Serviços e pela Vitorialuz, que oferece as mesmas opções para informar o número de identificação do ponto de luz e qual o problema identificado. Outro caminho para fazer solicitações é pelo telefone: 0800 024 1000 / 2233-8165 / 2246-8971.

250 metros já receberam o serviço no lado ímpar da via

Trabalho dá sequência a ação do programa Mais Asfalto em ruas movimentadas do Centro

Serviço que não ocorria há 10 anos no município, a Rua do Imperador começou a receber obras de asfaltamento dentro programa Mais Asfalto. Cerca de 250 metros do lado ímpar da principal rua do Centro da cidade, que tem movimento médio de 10,2 mil veículos e serve de itinerário para quatro mil viagens de ônibus por dia, já está pronto entre a Aureliano Coutinho e Praça Dom Pedro. O trabalho vai passar por toda extensão da via, melhorando a passagem de um dos locais com maior fluxo de veículos na cidade. Além disso, o programa também investe na manutenção viária nos bairros, atendendo Bairro da Glória e Mosela nesta terça-feira (04.09).

Durante todo dia, 112 linhas de ônibus de todas as empresas usam a Rua do Imperador como rota para o transporte de passageiros. Na via, mais 650 metros do lado ímpar e 900 do lado par serão asfaltados e receberão fresagem (raspagem) na lateral, o que vai ajudar melhorar o escoamento de água de chuva. No total, serão aplicadas quase 1,2 mil toneladas de asfalto. A previsão é de que o serviço continue na noite desta terça, caso não chova. A CPTrans irá realizar a sinalização horizontal da rua após a conclusão do serviço.

O programa Mais Asfalto é um investimento de R$ 7 milhões que vem justamente para reverter o quadro de abandono que a malha viária sofreu nos últimos anos. O último grande asfaltamento da Rua do Imperador, por exemplo, foi em 2008. De lá para cá, só houve manutenção. Agora não, está sendo feito asfaltamento mesmo da rua, da mesma forma que já ocorreu nas ruas Santos Dumont, Souza Franco, Visconde de Bom Retiro e Aureliano Coutinho.

No circuito onde o asfaltamento já foi concluído, o fluxo de ônibus, por exemplo, é de mais de 800 viagens em 25 linhas que vão em direção ao Alto da Serra e Morin com mais de 20 mil passageiros por dia.

O programa Mais Asfalto também atua nos bairros. Nesta terça-feira, a Secretaria de Obras realizou manutenção viária na Rua Raimundo Nonato, no Bairro da Glória. O ônibus que atende os moradores (linha 613) faz 42 viagens diariamente com intervalos que variam entre 20 e 30 minutos – ou seja, o fluxo de ônibus é intenso durante todo dia. Por isso, foram cinco toneladas de asfalto, serviço que mobilizou seis funcionários, um caminhão e um rolo compressor.

A atuação nos bairros é para maior conforto para os usuários do transporte pública da cidade, maior segurança para os ônibus e mais fluidez no trânsito, já que os veículos não mais demorar para conseguir passar pelo itinerário nem ter que desviar a rota.

O mesmo trabalho aconteceu na Rua Cândido Portinari, na Mosela. Um dos ônibus que atende a localidade (linha 103) faz 15 viagens por dia. Já o outro (linha 142) opera apenas domingos e feriados, com 13 viagens. A manutenção viária ainda ocorreu na Rua Oliveira Bulhões, na Estrada da Saudade.

Pela manhã, o local estava recebendo o serviço de fresagem – retirada do asfalto antigo

A Rua Rocha Cardoso começou a ser reformada na manhã desta quinta-feira (16.04). O serviço teve início pela manhã com a fresagem do local, ou seja, retirada do asfalto antigo. A previsão é de colocar a nova camada de asfalto ainda nesta quinta, caso as condições climáticas não alterem a programação. O trabalho é feito após a conclusão da pavimentação na Rua Monsenhor Bacelar.

Para o avanço do trabalho nesta quinta, a Rua Rocha Cardoso foi fechada e os motoristas foram direcionados a desviar pela Rua Visconde de Itaboraí, no Valparaíso. O trabalho da equipe de funcionários ocorre durante todo dia e, caso necessário, avança também de noite.

É o que aconteceu na Rua Monsenhor Bacelar, que teve o trabalho durante no período noturno para finalizar a nova pavimentação em cerca de 600 metros das duas pistas da via. A colocação do asfalto é acompanhada de outros detalhes do projeto, como melhoria de drenagem, alinhamento das caixas de ralo e de esgoto e a reforma também inclui uma nova pintura de sinalização. Nesta quinta, começou a ser refeito os quebra-molas com blocos intertravados.

Além das duas ruas, a Av. Barão de Amazonas também será reformada. A programação é para que o trabalho nessa via seja realizado nesta sexta-feira (17.04), caso não chova. O trânsito ficará alterado para o serviço.

A pista do lado esquerdo (que tem acesso pela Rua Nelson de Sá Earp) será interditada a partir de 7h. Todos os veículos – incluindo os ônibus da viação Petro Ita – deverão contornar a Praça da Liberdade e acessar a pista do lado direito, que ficará aberta.

Após a conclusão da reforma do lado esquerdo da Av. Barão de Amazonas, ainda nesta sexta, será bloqueado o trânsito pela pista do lado direito. Os carros de passeio que quiserem ir em direção ao Valparaíso ou Quitandinha vão acessar a rua pelo lado esquerdo, acessando em seguida a Rua Monsenhor Bacelar. Já as linhas da empresa Cidade Real que passam pela Rua Roberto Silveira também darão a volta na Praça da Liberdade, passando pela Av. Koeler e Rua da Imperatriz.

Também nesta quinta, o programa Prefeitura Presente promoveu o serviço de tapa-buraco em outras ruas do município. Houve aplicação de asfalto na Rua 11 (Castelo São Manoel), Agostinho Goulão (Bonfim), Rua Teresa – no acesso para Oswero Vilaça (Alto da Serra), Euclides de Oliveira (Meio da Serra), João Goulart e Café Filho (Valparaíso), Rua Alberto de Oliveira (Mosela) e Abade Palma (Samambaia). Em três meses e meio, o programa já fez 316 ações de tapa-buraco e atendeu 220 ruas em 49 bairros.

A revisão do projeto proposta pelo município prevê a inclusão de rotatórias, melhorias na sinalização e reordenamento do trânsito em diferentes pontos. O DNIT anunciou nesta semana a liberação de mais de R$ 10 milhões para incluir as adequações do projeto.

Depois da sinalização positiva, na última semana, do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes - DNIT ao pedido feito pelo governo interino, para alterações no projeto de recuperação da Estrada União e Indústria, nesta sexta-feira (19), técnicos do órgão federal, da JDS Engenharia e Consultoria e da Santa Luzia Engenharia e Construções, que executam a obra na rodovia, percorreram os pontos onde as principais revisões foram solicitadas. A visita, que foi acompanhada pelo diretor-presidente da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes, e pelo vice-presidente da Comissão de Trânsito da Câmara de Vereadores, Maurinho Branco, teve como objetivo avaliar a viabilidade técnicas das intervenções pleiteadas pelo município. Nesta semana, o DNIT anunciou, em Brasília, a liberação de mais R$ 10 milhões para que sejam feitas correções no projeto.

"A obra de recuperação da estrada União e Indústria é um marco fundamental no planejamento da mobilidade urbana da nossa cidade pelas próximas décadas. O que temos como objetivo agora é garantir que seja entregue ao município um equipamento que ajudará a solucionar problemas antigos do trânsito. Reduzir o impacto do trânsito na vida das pessoas é fundamental, porque reduz acidentes, o tempo de deslocamento e consequentemente gera economia e mais investimentos na nossa cidade”, ressaltou o governo interino. “Estamos acompanhando de perto as obras executadas pelo DNIT para nos certificarmos de que elas tratam de avanços significativos nesse sentido. Já estive em Brasília para tratar diretamente do assunto", destacou.

Em Correas, o coordenador de engenharia do DNIT, Fernando Correa, e o coordenador geral do contrato, Sérgio Trece (da JDS Engenharia e Consultoria), além de técnicos do DNIT e da Santa Luzia, ouviram do diretor-presidente da CPTrans e do vice-presidente da Comissão de Trânsito da Câmara, as medidas necessárias para que a União e Indústria seja entregue não apenas com uma pavimentação e sinalização melhoradas, mas com soluções eficazes para problemas da mobilidade urbana. “Um dos pontos que apresentamos foi a necessidade de instalação de uma rotatória ou faixa de retorno no trecho da antiga Montreal e outra similar, próxima ao acesso à rua Visconde de Taunay, depois da ponte de Correas. A ideia é evitar que os veículos cruzem a pista fazendo conversão à esquerda. A entrada ou saída da ponte passa a ser feita com a conversão à direita, ou seja, sem cruzar a vias de sentido contrário, evitando assim o gargalo. Os retornos são as alternativas para quem faria a manobra para seguir tanto para o centro, quanto para os distritos”, informou o diretor-presidente da CPTrans.

Em outro ponto visitado nesta sexta-feira, uma situação semelhante. Hoje, quem vem do distrito de Itaipava já é obrigado a seguir mais uns metros adiante para fazer o retorno e somente então acessar Nogueira. “Com a revisão, seria construída uma nova rotatória mais à frente, próxima ao condomínio Bosque de Nogueira, e outra, alguns metros depois do acesso à Nogueira, no sentido Itaipava, próximo ao Hotel Buriti”, revela o diretor-presidente da CPTrans.

No pedido que foi apresentado na última semana pela Prefeitura e também reforçado pelo deputado federal Hugo Leal estão previstas, além da construção de novas rotatórias ao longo da estrada, correções e replanejamento na sinalização, além de recuos em alguns trechos da via. Aliado do município em Brasília, o deputado lembrou que, na última década, a cidade passou por importante reconfiguração na Estrada União e Indústria, com a chegada de novos empreendimentos. "Esta sempre foi uma via extremamente importante para o município, de grande movimento. Nos últimos anos, ainda tivemos a instalação de novos empreendimentos comerciais e residenciais que geraram um maior volume de veículos. A recuperação da Estrada União e Indústria é essencial não apenas para Petrópolis, mas para o Estado do Rio de Janeiro", avaliou.

Rotatória do Carangola

Enquanto conversa com o DNIT sobre a possibilidade de adicionar novas rotatórias no projeto, a Prefeitura já está trabalhando na obra da rotatória do Carangola, que está em execução desde setembro e conta com recursos próprios do município. "Ali temos um dos principais gargalos do trânsito. As conversões para acessar tanto o bairro Carangola quanto a Estrada da Saudade são responsáveis por retenções e congestionamentos. A mesma acontece em vários outros pontos da rodovia. Por isso, a construção de rotatórias podem ajudar a reduzir o impacto sobre o trânsito e melhorar a mobilidade. Na revisão que encaminhamos ao Dnit estamos pontuando não apenas essas melhorias na infraestrutura viária, mas também de sinalização, incluindo as correções que precisam ser feitas dentro da obra que já foi executada. Um desses exemplos é o trecho de acesso ao bairro Nogueira", destaca o diretor-presidente CPTrans, que lembra que, diariamente, cerca de 25 mil motoristas trafegam pela rodovia.

A Prefeitura apresentou na manhã desta quarta-feira (18/12), no Theatro Dom Pedro, o Plano de Contingência de Petrópolis, definindo o que caberá a cada instituição no caso de nova tragédia das chuvas. A medida fecha o ano de 2013, marcado por avanços do governo municipal na prevenção de desastres naturais, como a criação da Secretaria de Proteção e Defesa Civil, o aperfeiçoamento das 18 sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, a capacitação de 400 voluntários da Defesa Civil em 40 comunidades, a instalação de mais 39 pluviômetros, somados aos 26 já existentes, entre outras ações.

O prefeito Rubens Bomtempo apresentou as medidas do governo municipal, deixando claro que Petrópolis termina o ano mais preparada para enfrentar fortes chuvas do que estava no fim de 2012. Ele afirmou que há muito ainda o que avançar no sistema de prevenção, mas frisou que o governo vira o ano já trabalhando para que 2014 seja ainda melhor. A meta da Prefeitura é ter “mortes zero” mesmo em um cenário de chuvas fortes e constantes. Para isso, é fundamental que poder público e população atuem juntos.

O documento foi apresentado no Theatro em reunião ampliada do Comitê de Ações Emergenciais que contou com a presença de secretários de governo, diretoras de escolas municipais, membros do próprio Comitê de Ações Emergenciais, líderes comunitários e voluntários da Defesa Civil .

“Nos articulamos de forma cada vez melhor para que possamos dar segurança à população de Petrópolis neste verão que está por vir. Tivemos o cuidado de apresentar antes esse plano para o Ministério Público Estadual e para o Ministério Público Federal, para que o nível de questionamento seja o menor possível. Isso é aprendizado. O Plano de Contingência do próximo ano será ainda melhor. Estaremos sempre aperfeiçoando esse documento. As pessoas vão aprender a conviver com essas ferramentas”, disse Bomtempo.

O Plano de Contingência que irá vigorar em 2014 começou a ser produzido em setembro. No fim de novembro, a primeira versão do documento ficou pronta. Desde então, o plano foi encaminhado para as instituições participantes para ser revisado. Cada instituição apresentou a relação de recursos materiais e humanos existentes para o atendimento a emergências e desastres. Com o Plano de Contingência, a função de cada órgão fica bem definida na prevenção de tragédias.

O secretário de Proteção e Defesa Civil, Rafael Simão, esclareceu que o Plano de Contingência de Petrópolis para 2014 é o primeiro a ser feito sob a forma de matriz, ou seja, com as atribuições de cada órgão descritas em planilhas.

“O prefeito determinou que o plano fosse mais prático, seguindo um padrão internacional. Foram várias reuniões, de vários órgãos, para chegarmos a esse plano”, disse o secretário Rafael Simão.

A promotora do Ministério Público Estadual, Zilda Januzzi destacou a importância de órgãos municipais, estaduais, federais e comunidades caminharem juntos nas ações de prevenção.“De nada vai adiantar o esforço do poder público se a própria comunidade não se conscientizar dos riscos. Se todos nós, cada um no seu papel, fizermos a nossa parte, vamos conseguir um objetivo comum, que é evitar mortes. Espero que tenhamos anos melhores, sem desastres. Se houver desastres, que a gente consiga o objetivo, que é mortes zero”, disse Zilda.

Antiga demanda da população, a Estrada Bernardo Coutinho, em Araras, recebeu nesta segunda-feira (10.09) um novo abrigo de ônibus, na altura do número 4508. A implementação acontece seguindo um cronograma de instalação para novos abrigos, assim como ocorreu na Rua 13 de Maio e Roberto Silveira, ambos no Centro.

A demanda pela instalação do abrigo ocorre há dois anos. Ele vai atender usuários das linhas que passam pela via, em Araras. Os novos abrigos têm coberturas mais amplas e maior número de assentos, garantindo o conforto de maior número de usuários enquanto aguardo pelo coletivo. O objetivo da ação é seguir um padrão que assegure mais qualidade e mais acessibilidade para a população.

O primeiro local a receber o novo abrigo, foi a Rua Roberto da Silveira, onde se concentram passageiros que utilizam as linhas que seguem para os bairros Mosela, Bingen e Duarte da Silveira. Por este ponto, passam aproximadamente 30 coletivos a cada hora. Já o segundo foi instalado na Rua 13 de Maio, o antigo abrigo já apresentava marcas de desgastes.

Pagina 5 de 85