Segunda, 20 Maio 2013 - 12:16

Bomtempo confirma nova ponte para Corrêas

O prefeito Rubens Bomtempo anunciou que as obras de construção da nova ponte de Corrêas estão programadas para o segundo semestre. A notícia foi dada durante um encontro entre Bomtempo e o presidente do Departamento de Estradas e Rodagens (DER), Henrique Ribeiro, na tarde de quinta-feira (16/5).

“As obras na ponte de Corrêas representam um grande avanço. A localidade é um importante ponto de ligação entre diversos bairros e também tem grande importância turística e econômica. A intervenção vai aliviar os congestionamentos e colaborar para o desenvolvimento local e do município como um todo”, disse o prefeito, que ficará responsável pelo pedido de licença ambiental para a execução da obra.

Os recursos, de R$ 1,5 milhão, foram destinados por meio de emendas parlamentares dos deputados, que também estiveram presentes na reunião, Luiz Paulo Corrêa, e Marcus Vinícius, atual secretário Estadual de Envelhecimento Saudável e Qualidade de Vida.

Pelo projeto, a ponte terá 35 metros de comprimento por 10 metros de largura. Ela ligará a Estrada União e Indústria à Rua Vigário Corrêa sobre o Rio Piabanha e será utilizada em mão única, agilizando o fluxo de veículos na região. De acordo com o presidente do DER, o governador Sérgio Cabral pediu prioridade ao projeto: “Agora é uma questão burocrática. Os deputados que fizeram as emendas encaminharão um ofício ao governador citando a reunião e as emendas apresentadas para que a verba seja remanejada. Acredito que em agosto ou setembro a obra esteja em execução”, informou Henrique Ribeiro.

“Não há dúvidas de que a melhoria no tráfego será considerável”, afirmou o secretário Marcus Vinícius. “Somente uma nova estrutura será capaz de criar espaço suficiente para o intenso fluxo de veículos e pessoas no local”, diagnosticou o deputado Luiz Paulo.

Municipalização da RJ-107

O prefeito Rubens Bomtempo também solicitou, com o secretário Marcus Vinícius, ao presidente do DER a municipalização da RJ-107, que liga o bairro Alto da Serra ao Meio da Serra: “A região está abandonada e carente de infraestrutura. Queremos chamar a responsabilidade para a Prefeitura para poder investir no local”, ressaltou o prefeito que garantiu a iluminação pública de todo trecho e também aproveitou a oportunidade para solicitar ao DER o recapeamento asfáltico de Araras.

Durante a reunião, também estiveram presentes o secretário de Obras de Petrópolis, Aldir Cony, o coordenador regional do PSDB, Ramon Mello e o assessor do deputado Luiz Paulo, Fred Procópio.

O prefeito Rubens Bomtempo recebeu hoje (10/05) os deputados estaduais Luiz Paulo Corrêa da Rocha, Marcus Vinícius (Neskau) e Bernardo Rossi, autores da emenda parlamentar que prevê a construção da nova ponte de acesso a Corrêas. No encontro, foi entregue ao prefeito para análise o pré-projeto da obra, orçada em 2 milhões e 850 mil reais. A nova ponte ligará a Estrada União e Indústria à Rua Vigário Corrêa sobre o Rio Piabanha e será utilizada em mão única, agilizando o fluxo de veículos na região.

As retenções geradas à altura da ponte atual se estendem pela União e Indústria e dificultam o acesso aos outros distritos. “Corrêas é um lugar de importância estratégica porque é o ponto de ligação entre diversas localidades. Mas também tem grande importância turística e econômica, pelo comércio, restaurantes, pousadas e produção rural. Com a construção da ponte, podemos resolver o problema do trânsito no lugar. Agora nós vamos analisar esse material, mas eu não vejo impedimento para que a obra ocorra”, disse Bomtempo.

Pelo pré-projeto, a ponte terá 35m de comprimento por 10 metros de largura. Os recursos foram garantidos por meio da reunião da cota individual dos deputados, em conformidade com o artigo 21 da Lei de Diretrizes Orçamentárias nº6010/2011, para atender essa necessidade antiga da região.

Na reunião, as plantas também foram analisadas pelo secretário de obras, Aldir Cony, e pelo presidente da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes – CPTrans –, Gilmar de Oliveira, que estarão envolvidos com o processo de construção e redistribuição do trânsito no local. Também estiveram presentes os assessores Ramon Mello e Fred Procópio. Uma nova reunião ficou agendada para a próxima semana, dando continuidade ao andamento do projeto.

A erosão provocada por uma rede de água fluvial, próximo ao BNH da rua Alberto de Oliveira, na Mosela, já causou a queda de uma casa e de parte de outro imóvel na mesma propriedade, na semana passada, e uma terceira casa já apresentava rachaduras. A rápida intervenção da secretaria de Obras impediu o agravamento da situação. O prefeito Rubens Bomtempo e o secretário de Obras Aldir Cony estiveram no local hoje (26/04) para acompanhar o trabalho, onde máquinas e caminhões estão sendo utilizados para o aterramento do terreno.

De acordo com o sobrinho do proprietário, Carlos Eduardo Severino, o terreno começou a apresentar sinais de modificação há cerca de 20 dias, mas apenas na semana passada um buraco se abriu, causando a destruição da casa e de parte da residência ao lado, sem ocorrência de feridos . Ele explicou que passava pelo terreno uma rede de água fluvial com 15 metros de profundidade.

“Se não agíssemos rapidamente, íamos perder toda a servidão, porque a rede atravessa toda essa área”, alertou o prefeito, ao mostrar as diversas rachaduras que se formaram pelo terreno. Segundo o secretário Aldir Cony, esta é uma rede muito antiga, com camadas de aterro por cima, em uma profundidade que não foi possível atingir. “Por isso, nós resolvemos construir uma rede nova em profundidade menor, com tubos de PVC de 60 centímetros, que são mais leves e estão sendo fabricados para atender essa necessidade”.

O secretário também esclareceu que a situação na localidade está controlada e não apresenta risco para a vizinhança. A expectativa é de que a obra esteja concluída no prazo de 30 dias.

Sábado, 20 Abril 2013 - 18:50

Comunidades recebem manutenção de vias


Capina, roçada, mini operação tapa-buraco e manutenção em vias de paralelo são alguns dos serviços prestados em ações reforçadas desenvolvidas pela Comdep e Secretaria de Obras essa semana. O serviço conjunto visa garantir a organização do município. O trabalho já atingiu regiões do Independência e Quitandinha, assim como Araras, Vale do Carangola e Estrada da Saudade. Nesse momento, acontece no Siméria, Bingen, Itamarati, Cascatinha, Quissamã, e distritos mais afastados, como Pedro do Rio.

A retirada de entulho deixado ao redor das coletoras está sendo providenciada nessas regiões que ficaram um longo período abandonadas. De acordo com o presidente da Comdep, Hélio Dias, apenas no Itamarati um total de 60 homens trabalha na limpeza. “Ao todo, são cerca de 400 funcionários espalhados pela cidade. Fazem a capina e roçada manual e mecânica, além da recuperação de brinquedos, pinturas de corrimãos, jardinagem e revitalização de praças”, destaca. Segundo ele, a intensificação das ações foi uma determinação do prefeito Rubens Bomtempo.

A medida, de acordo com Hélio Dias, está garantindo mais agilidade na regularização do serviço e, com a chegada do período de estiagem, o trabalho poderá ser ainda mais acelerado. O mesmo acontece com a secretaria de Obras. “As equipes estão diariamente nas ruas, mas por conta das chuvas o trabalho acabou sendo um pouco prejudicado. Mas agora estamos conseguindo avançar e as comunidades estão ficando satisfeitas com a presença do poder público”, diz o secretário de Obras Aldir Cony, salientando que a desobstrução de redes de águias pluviais também está sendo feita.

“Estamos satisfeitos com a providência. A presença dos trabalhadores mostra a preocupação do prefeito com a população. As chuvas causaram o rápido crescimento do mato, principalmente, nas margens das ruas, o que estava aumentando o risco de acidentes”, disse a morador Sebastião de Oliveira, de 64 anos.

Por determinação do prefeito Rubens Bomtempo, a Secretaria de Obras autorizou o processo de restauração total do Obelisco. O trabalho, que começou ontem (18/4) e deverá durar em torno de 20 dias, consiste na reparação de fissuras, recuperação das placas de bronze e limpeza do monumento.

O artista plástico e especialista em restauração de monumentos históricos, João Teixeira, está à frente da tarefa. Teixeira trabalha com restauração há 30 anos e tem no currículo trabalhos realizados no Theatro Municipal do Rio de Janeiro; no Museu Janete Costa, em Niteroi (RJ); no Museu Imperial e na fachada do Quartier, no Centro Histórico de Petrópolis, além de curso em Veneza (Itália).

“Para realizar um trabalho de restauração, primeiramente temos que fazer um levantamento histórico do monumento, do sistema construtivo da época em que ele foi feito e quais os materiais utilizados”, explica o artista. Segundo ele, a parte superior da escultura de 20 metros, possui alvenaria de tijolo revertido em placa de mármore, cuja tipologia é de Jatobá. Trata-se de um material difícil de ser encontrado, porque não há reservas no Brasil.

No primeiro dia de trabalho, Teixeira e sua equipe, composta pelo também artista plástico e restaurador Fábio di Aguiar e Márcio da Silva, instalaram a rede de proteção que envolve o monumento e os aspersores (tubos para borrifar água). “Conforme vamos descendo do topo do monumento, fixamos as peças que estiverem soltas e colocamos o produto para realizar a limpeza. Só água, sabão neutro e escova”, explica.

O secretário de Obras, Aldir Cony, reforça que o obelisco é um monumento importante para a cidade: “Ele faz parte do acervo histórico de Petrópolis, além de ser um bem tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac).”

Uma verba de R$ 500 mil para ser investida na compra de veículos para o transporte escolar e numa UTI Móvel para atender a demanda da cidade será enviada ao município através de emenda parlamentar do deputado estadual Bebeto, que na manhã de hoje se reuniu com o prefeito Rubens Bomtempo no gabinete.

O chefe do executivo já determinou que a cotação dos valores seja iniciada na próxima semana, para ser encaminhada para aprovação da Casa Civil nos próximos 20 dias. Uma audiência com o secretário da Casa Civil, Regis Fichtner, também será agendada. “Nessa audiência iremos apontar as prioridades do município e saber como os equipamentos serão adquiridos. Ou seja, se será feito pelo estado ou pelo município”, explica Bomtempo.

A verba faz parte de uma cota de R$ 1,5 milhão que cada deputado detém para ser usada para propor melhorias ou envio de recursos extras aos municípios para a realização de obras necessárias. Assim que o orçamento é aprovado, o governo determina o que poderá ser pago com os recursos sugeridos.

“Com o R$ 1 milhão restante estaremos beneficiando outros municípios da Região Serrana, como por exemplo, Teresópolis e Friburgo. Angra dos Reis também está incluída”, disse o deputado, complementando: “Temos muito carinho por Petrópolis. Minha família está sempre aqui. Queremos que a cidade melhore cada vez mais e por isso estou me colocando à disposição do prefeito para ajudar no que for possível”, finalizou o deputado.

Sábado, 09 Março 2013 - 07:46

Restauro do Obelisco em nova fase

A restauração do Obelisco está passando por uma nova fase. A empresa responsável pelo dano causado ao monumento em janeiro iniciou a proteção impermeabilizante no topo, com a aplicação de aditivos. O objetivo é que esta fase esteja concluída até este fim de semana. A secretaria de Obras supervisiona o trabalho e acredita que o serviço completo pode ficar pronto até o dia 16 de Março, quando a cidade comemora 170 anos de fundação. Mas ainda será necessário a aprovação do Inepac – Instituto Estadual do Patrimônio Cultural.

Na próxima semana, a pedra adquirida para compor o monumento será apresentada para a análise do instituto e do restaurador contratado para a realização do serviço. De acordo com o secretário de Obras, Aldir Cony, o atraso da obra foi causado pelas dificuldades encontradas para obter o material exigido pelo Inepac. “A pedra que será usada no restauro precisa ser semelhante à existente no monumento, ou seja, ter a mesma aparência, inclusive no desgaste causado pelo tempo, como sol e chuva”, explica. “Esse foi um dos entraves, mas não houve paralisação dos trabalhos”, complementa.

Com o objetivo de agilizar o processo e garantir que o restauro fosse feito num curto espaço de tempo, foi firmada uma parceria entre a empresa responsável pelo serviço, Inepac e Prefeitura de Petrópolis. A partir da montagem do andaime e após a cobertura da ponta do Obelisco, em fevereiro, iniciou-se a peregrinação em busca da pedra, mas aquelas que foram encontradas, não atendiam as exigências impostas pelo instituto.

A extremidade do monumento foi danificada em janeiro, quando a empresa contratada pelo governo anterior para a colocação e posterior retirada da iluminação de Natal, fazia a remoção das lâmpadas. Na ocasião, a máquina que realizava o serviço esbarrou na ponta do Obelisco, causando os danos. A empresa se comprometeu em providenciar e custear todo o reparo, que está sendo acompanhado e fiscalizado pela Secretaria de Obras.

O prefeito Rubens Bomtempo reforçou o seu compromisso de reduzir o déficit habitacional do município. Bomtempo publicou no Diário Oficial deste sábado (23/2), um decreto suplementar, no valor de R$1.731.783,18, para o início das obras de construção de 72 unidades habitacionais na Posse. As casas serão destinadas às famílias que perderam suas moradias por conta das frequentes chuvas, que vem atingindo a cidade desde 2001.

“Essas famílias são de baixa renda, a maior parte recebe cerca de um salário mínimo ou menos. São pessoas que estão com suas vidas desorganizadas, pois perderam seus lares. Elas vão sair do aluguel social para receberem suas casas próprias, que é direto delas. Junto com as chaves, também estaremos devolvendo a dignidade de cada família, que poderá reconstruir a sua história com a certeza da segurança”, afirmou o prefeito.

De acordo com o secretário de Habitação, Rodrigo Seabra, a obra é proveniente de recursos do convênio firmado por Bomtempo com o Ministério das Cidades, por meio do Programa de Aceleração do Desenvolvimento (PAC), em 2007, quando ainda era prefeito: “Desde então, a verba estava à disposição da cidade, mas o governo passado não teve capacidade de realizar a obra”.

Bomtempo foi o prefeito que mais construiu casas populares na história da cidade. De 2001 a 2008 foram mais de 600 unidades: “Sabemos como é difícil reconstruir uma família sem que ela tenha uma casa”, destacou o prefeito lembrando ainda que no início do seu primeiro mandato, em 2001, criou o aluguel social para atender às famílias, vítimas das chuvas, que ficaram sem as suas moradias. A experiência acabou sendo copiada pelo Governo do Estado e por diversos municípios do país.

Os moradores da Estrada da Saudade serão contemplados com uma série de obras que vão melhorar a infraestrutura do bairro. O prefeito Rubens Bomtempo anunciou que a localidade contará com intervenções de urbanização, contenções, melhorias viárias e de drenagem, construção de equipamentos comunitários e recuperação ambiental. O edital de publicação foi publicado no Diário Oficial de sábado (2/2).

É um grande e importante projeto para Petrópolis. Para dar certo e ser modelo para outras comunidades precisamos de todos os atores, governo municipal e sociedade civil organizada, engajados e unidos”, disse o prefeito Rubens Bomtempo.

As obras estão orçadas em cerca de R$ 22 milhões e devem durar os quatro anos do governo. depois do carnaval, Bomtempo vai reunir os moradores e vereadores para discutir o projeto executivo, que já teve o parecer favorável da Caixa Econômica Federal. A obra vem sedo aguardada há mais de dois anos. Só a regularização fundiária vai beneficiar mais de três mil famílias. A dona Arlete Silva. Moradora da Estrada da Saudade, que não acreditava mais na providência disse que Bomtempo tem palavra e que agora a obra sai. “É uma importante melhoria, mas já havíamos perdido as esperanças de vê-la concluída”, disse.

O primeiro passo para a recuperação do Obelisco, que teve a extremidade danificada pela empresa que fazia a  retirada da iluminação de Natal contratada no governo anterior, foi dado  com a montagem de um andaime de aproximadamente 18 metros ao redor do monumento. O trabalho está sendo acompanhado pela Secretaria de Obras, que aproveitará o reparo para fazer uma vistoria técnica em toda a estrutura. O reparo será custeado pela empresa.

“A inspeção irá determinar se a recuperação poderá ou não ser feita diretamente no monumento."Somente a partir dessa vistoria teremos uma previsão do tempo necessário para o serviço," disse o secretário de Obras, Aldir Cony.

O relatório da vistoria técnica deverá ser apresentado ao Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) na próxima sexta-feira. O trânsito não será prejudicado, mas os agentes da CPTrans, assim como guardas civis, permanecerão no local para  garantir a fluidez do tráfego. 

Pagina 85 de 86