A Prefeitura promoveu, na tarde desta quinta-feira (6), uma reunião para tratar do Conjunto Habitacional do Vicenzo Rivetti. Participaram representantes do Movimento do Aluguel Social e Moradia de Petrópolis, da Caixa Econômica Federal (CEF) e de uma das empresas contratadas pela Caixa para fazer as obras de reparos nos problemas construtivos do condomínio. O objetivo da reunião, realizada de forma remota, foi a nova gestão da Prefeitura, que assumiu a administração no fim de dezembro, se inteirar sobre a retomada das obras pela Caixa no condomínio.

Como explicou o assessor especial de governo, Felippe Rocha, que representou a Prefeitura na reunião, a proposta é que essas reuniões sejam permanentes, de modo a aproximar os moradores dos atores envolvidos com as obras do conjunto habitacional.

A Avenida Barão do Rio Branco vai receber nova iluminação. Por meio da Secretaria de Serviços, Segurança e Ordem Pública (SSOP), a Prefeitura está providenciando a compra de 250 lâmpadas de led que serão instaladas na principal via de ligação entre o Centro e os distritos. Desde o dia 22 de dezembro, Comdep e CPTrans já atuam na limpeza do local para revitalizar a via, com ações de capina, roçada, sinalização vertical e horizontal e limpeza de placas.

“A ‘Barão’ é uma das mais importantes vias do município. As novas lâmpadas serão instaladas em toda sua extensão nos dois sentidos. Isso significa mais eficiência na iluminação e segurança para motoristas e pedestres, além de garantir economia para o município”, disse o vice-prefeito e secretário de Serviços, Segurança e Ordem Pública, Paulo Mustrangi.

O presidente da Comdep, Leonardo França, destaca que o mutirão de limpeza na Barão do Rio Branco envolve cerca de 60 colaboradores da companhia. “São ações simples, porém extremamente necessárias”, disse.

As ações de recuperação da sinalização, segundo o presidente da CPTrans, Jamil Sabrá, foram iniciadas na pista sentido Centro, a partir do Retiro. “Estamos providenciando melhorias da sinalização como um todo. O trabalho inclui a revitalização de faixas de pedestres, entre outros serviços fundamentais”, frisa Jamil Sabrá.

A chegada da tecnologia 5G no Brasil está sacramentada e terá um impacto positivo na vida da população. A maior capacidade e velocidade permitirão mais usuários, mais dados e conexões mais rápidas para novos serviços e maior produtividade das empresas, sendo esse apenas um exemplo. Petrópolis está entre as 28 cidades do país preparadas para receber a tecnologia, quando as operadoras vencedoras do leilão estiverem autorizadas a operar o 5G nos municípios de menor porte. No Estado, apenas outras 13 cidades também garantiram a normatização. As demais são oito cidades do Estado de São Paulo, além de Fortaleza, Brasília, Florianópolis, Porto Alegre, Londrina e a cidade mineira de Santa Rita do Sapucaí.

“Tenho certeza que vamos atrair empresas de ponta por conta da viabilidade do 5G em Petrópolis. A nova tecnologia será crucial para uma guinada econômica. Petrópolis é uma cidade que possui uma vocação tecnológica expressiva, com um parque avançado. Com a nova tecnologia poderemos ampliar a capacidade para que mais empresas possam se instalar por aqui, gerando empregos de qualidade. Trabalhamos por uma Petrópolis antenada com o futuro, com melhor infraestrutura e qualidade de vida para seus cidadãos e àqueles que quiserem estabelecer seus negócios aqui”, aponta o governo interino.

Em agosto desse ano, Petrópolis saiu na frente com projeto de lei que dispõe sobre a normatização urbanística para regulamentar os procedimentos de licenciamento e instalação das antenas 5G, que vai atender a demanda para ampliação de cobertura e melhoria na prestação de serviço de telefonia e internet móvel na cidade. A projeto, do Executivo, foi aprovado na Câmara de Vereadores e sancionado pelo governo interino.

A tecnologia 5G irá acelerar o processo de desenvolvimento econômico e social na cidade. A ação direta do governo municipal em regulamentar o tema com uma legislação vai permitir a modernização desta infraestrutura de telecomunicações. Com a ação, será possível implementar novas tecnologias de monitoramento e gestão inteligente da cidade, investimentos em manufatura avançada e de atenção e cuidado com as pessoas, entre tantos benefícios sociais e coletivos. Em um futuro cada vez mais próximo, ter ou não a tecnologia de conexões ultrarrápidas de internet será diferencial para atrair empresas, gerar empregos e renda nas cidades.

Além das facilidades no dia a dia, o 5G promete recursos para o ganho na produtividade para a indústria. Na logística, sistemas inteligentes escolherão a melhor rota com base no clima e trânsito. Os veículos autônomos serão menos suscetíveis a acidentes e as linhas de produção serão otimizadas, com melhor aproveitamento de tempo e sem desperdício de insumos.

O que prevê o projeto aprovado

Entre os cuidados estipulados em lei, está o resguardo da paisagem urbana, bem como o que diz respeito à proteção da saúde da população, conforme os parâmetros adotados pela OMS sobre os limites seguros de exposição humana à radiação eletromagnética e também quanto ao fomento para o compartilhamento e ao uso racional dos ativos de infraestrutura. Haverá exigências para a instalação de equipamentos em áreas de preservação permanente, conservação, interesse ecológico, reservas biológicas, estações ecológicas e zonas intangíveis, primitivas e de uso extensivo localizadas em parques, além de bens tombados e área de tutela.

O projeto também regulamenta a expedição de alvará de construção, certificação de conclusão da obra e autorização ambiental. Também fica especificado que a fiscalização será de responsabilidade da Anatel, e caso haja algum desacordo nos requisitos estabelecidos pela lei, o órgão outorgante deverá intimar a empresa responsável para que no prazo de 60 dias proceda as alterações necessárias à adequação. O projeto de lei também especifica as penalidades para possíveis desacordos com a lei. Haverá uma notificação de advertência em um primeiro momento, multa com valor aplicado pelo código de obras do município em segundo instante e em caso de recorrência, a empresa responsável deverá promover o desmonte e remoção de material, em um prazo de 60 dias, sob risco de multa diária de 10 UFPES.

O governo interino se reuniu na manhã desta terça-feira (19), com a diretoria do Instituto Philippe Guédon - Gestão Pro Participativa. O grupo fez a apresentação do Planejamento Estratégico para Petrópolis – Pep 20 – Construindo a Petrópolis que queremos, documento elaborado com a cooperação de cerca de 100 representantes de diferentes setores do município, como gastronomia e turismo.

O documento contém uma série de sugestões de ações relacionadas a infraestrutura e urbanismo, saúde, educação, desenvolvimento econômico, meio ambiente, cidadania, administração pública e cultura. “Assumimos o compromisso de analisar o documento de forma atenta para podermos avançar. A participação popular e fundamental para o desenvolvimento de políticas públicas. É um dos pilares da democracia” frisa o governo interino, ressaltando que Philippe Guedon deixou, em Petrópolis, um legado inestimável.
A presidente do Instituto Philippe Guédon, Silvia Guédon, destacou a importância da abertura do canal com o poder executivo. “A reunião foi muito produtiva e manter esse contato com o instituto, que presa pela participação popular, é muito importante para a cidade”, frisa Silvia Guédon.

O vereador Fred Procópio, presidente da Câmara Municipal, também participou do encontro e apontou uma série de ações já realizadas pelo legislativo, como a conclusão da revisão da Lei de Incentivos Fiscais. “Ter um instituto pensando em Petrópolis para os próximos 20 anos é muito significativo. Como presidente da Câmara de Vereadores, me comprometi em pensarmos em um projeto conjunto, envolvendo o legislativo, executivo e o instituto para planejarmos a cidade não só nos termos urbanísticos, mas também nas revisões legais necessárias”, disse.

A coordenadora Especial de Articulação Especial também salientou a participação popular. “Esse envolvimento de todos é importante para as diretrizes das políticas públicas desenvolvidas pelo município. É a sociedade civil e governo comprometidos com a cidade”, disse.

Além de Silvia Guédon, Cleveland Jones, Ramiro Farjalla, Maria Cristina Melo e Roberto Rocha, todos da diretoria do Instituto, participaram da reunião.

Técnicos da prefeitura de Duque de Caxias visitaram Petrópolis nesta semana para conhecer o projeto das fossas sépticas que estão sendo instaladas nas comunidades pelo governo municipal. Eles estiveram na localidade conhecida como Vila São Francisco, no Meio da Serra, onde estão sendo colocados quatro kits de fossas. Essa ação vai garantir o tratamento de esgoto para cerca de 70 pessoas – os moradores esperavam por isso há mais de 30 anos.

O kit é composto de fossas, filtros, tubos e conexões. O objetivo é fazer o tratamento primário do esgoto doméstico, evitando o lançamento dos dejetos diretamente em rios, lagos ou mesmo na superfície do solo. Desse modo, as fossas impedem a poluição e a contaminação das fontes que abastecem as casas.

A prefeitura já fez a colocação de quatro kits de fossas no Morro dos Anjos, no Caxambu, e vai instalar mais quatro na comunidade Unidos Venceremos, no Quarteirão Brasileiro, nos próximos dias. Já na Comunidade do Ingá, na Posse, serão colocados cinco biodigestores com o mesmo objetivo de preservar o meio ambiente.

"Com as fossas sépticas e os biodigestores, garantimos que o esgoto produzido deixe de ser despejado na natureza, contribuindo com o meio ambiente e com a qualidade de vida dos moradores", disse o governo interino.

O subsecretário de Agricultura de Duque de Caxias, Marquinhos Rocha, esteve na visita em Petrópolis e garantiu que “existe um grande interesse em reproduzir esse projeto na cidade, já que o investimento é baixo e o retorno para as comunidades é garantido, ajudando também na preservação dos bairros”.

A instalação das fossas sépticas é uma ação da prefeitura de Petrópolis, através das secretarias de Meio Ambiente e de Obras, com o apoio da Águas do Imperador e do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). “Essa ação proporciona diversos benefícios para os moradores e garante a preservação dos recursos naturais das áreas atendidas”, completa o secretário de Meio Ambiente.

O governo interino de Petrópolis, o vice-presidente da Comissão de Transportes da Câmara de Vereadores, e o diretor-presidente da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes - CPTrans, estiveram nesta quarta-feira (29) na Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) para discutir com o diretor, Rafael Vitale, a proposta da Prefeitura de assumir um trecho da BR-040, na altura do túnel do Quitandinha, para viabilizar a ligação Bingen-Quitandinha. O projeto municipal tem como objetivo garantir uma alternativa viável à obra, considerada essencial para melhorar a mobilidade no trajeto Bingen/Centro/Quitandinha. O encontro também contou com a presença do presidente da Concer, Marco Antônio Ladeira.

“A reunião foi muito positiva. O projeto que entregamos no mês passado está sendo analisado e a sinalização é favorável. Aproveitamos para esclarecer dúvidas e discutir alguns pontos. Saímos da reunião otimistas de que vamos conseguir autorização para municipalizar o trecho e fazer a obra”, afirmou o governo interino, lembrando que o governador do Estado, já afirmou que, se o município conseguir a autorização, o Estado pode financiar as intervenções.

“Já temos o nada a opor do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, e também do diretor geral do DNIT, Antônio Leite dos Santos Filho. No mês passado, nos reunimos com o diretor-geral da ANTT e entregamos em mãos o pré-projeto da ligação Bingen-Quitandinha. Agora debatemos o projeto e a viabilidade de execução. O que vimos foi o interesse de todos para que finalmente esse projeto saia do papel. Esperamos que possa ser executado pela prefeitura e, no futuro, ser incorporado, com melhorias, à pista da nova subida da Serra”, detalhou o governo interino.

A municipalização – já autorizada pela Câmara Municipal de Petrópolis, vai permitir que o município execute obras para viabilizar a ligação Bingen-Quitandinha mais rapidamente, sem, no entanto, interferir no projeto maior, a ser executado pela concessionária que assumir a estrada, no novo processo que está previsto para ser realizado em 2022. O pedido está sendo analisado pelo corpo técnico da ANTT, que contará ainda com o suporte dos engenheiros da Concer. “Há registros de interesse público na ligação Bingen-Quitandinha desde 1941. Ou seja, essa é uma demanda da cidade que dura mais de 80 anos. E está claro que ela terá enorme impacto na mobilidade urbana. O que estamos pedindo é que possamos fazer a ligação pelo trecho da estrada que já existe, utilizando o túnel. Estamos mostrando que, se houver autorização, temos como fazer. É algo que já se mostrou viável e que vai ajudar a reduzir os congestionamentos em trechos críticos como na altura do Hospital Santa Teresa e na Coronel Veiga, além de reduzir também o número de acidentes, já que é um dos trechos mais perigosos da cidade”, ressaltou o diretor-presidente da CPTrans.

O deputado federal Hugo Leal, que articulou a vinda da diretoria da ANTT ao Estado em agosto para que os representantes pudessem ver de perto questões relacionadas a concessões de rodovias no Rio de Janeiro, lembrou que o DNIT é, originalmente, o responsável pela rodovia, mas, em função da liminar judicial que mantém a Concessionária Rio-Juiz de Fora na administração da BR-040, o município deve ter também a anuência da ANTT e da concessionária. "A ligação Bingen-Quitandinha é fundamental para desafogar o trânsito do centro de Petrópolis e melhorar a mobilidade urbana e a qualidade de vida no município. Por isso, tenho trabalhado em parceria com a prefeitura para viabilizar o projeto junto à ANTT. A reunião na agência foi muito proveitosa e creio que vamos conseguir tornar realidade a ligação Bingen-Quitandinha", destaca o parlamentar.

O projeto, também conta com o apoio do legislativo de Petrópolis, onde foi aprovado por unanimidade na Câmara Municipal o projeto de lei que autoriza a municipalização. “É a sexta reunião da qual participo com a ANTT e essa foi a que me deixou mais otimista. Senti a boa vontade do diretor, Rafael Vitale, assim como do presidente da Concer. Assim que a ANTT bater o martelo, acredito que realizaremos esse sonho de tantas décadas”, pontuou o vice-presidente da Comissão de Trânsito da Câmara de Vereadores de Petrópolis.

Quatro kits de fossas serão instalados e vão beneficiar até 50 pessoas com tratamento de esgoto

A prefeitura de Petrópolis, através da Secretaria de Meio Ambiente e com o apoio da Águas do Imperador, iniciou hoje (20/9) a instalação de quatro kits de fossas sépticas na localidade conhecida como Morro dos Anjos, no Caxambu. A ação vai garantir o tratamento de esgoto residencial para cerca de 50 pessoas. O governo interino esteve no local acompanhando o serviço – que será finalizado até quarta-feira (22) – e vai beneficiar cerca de 15 famílias dessa região.

O kit básico é composto de fossas, filtros, tubos e conexões. O equipamento faz o tratamento primário do esgoto doméstico, evitando o lançamento dos dejetos humanos diretamente em rios, lagos ou mesmo na superfície do solo. Desse modo, impede a poluição e a contaminação das fontes que abastecem as casas. No Bonfim, primeira comunidade rural a receber as fossas sépticas em 2019, mais de 90% do esgoto é tratado.

"O Bonfim é um exemplo onde o trabalho gerou resultados muito positivos. Agora estamos levando a instalação das fossas sépticas para outras regiões da nossa cidade, como o Caxambu, Meio da Serra e Posse. Desse modo, garantimos que o esgoto produzido deixe de ser despejado na natureza, contribuindo com o meio ambiente e com a qualidade de vida dos moradores", ressaltou o governo municipal, que esteve no bairro acompanhado da coordenadora Especial de Articulações Institucionais.

O presidente da Associação de Produtores Rurais do Bonfim, Marco Antônio Coelho, esteve no Caxambu compartilhando um pouco da experiência de sucesso no seu bairro. Segundo ele, houve avanço na saúde e na preservação do meio ambiente daquela região. “Isso é um benefício muito importante para a comunidade como um todo. A população precisa enxergar a instalação das fossas assim. Ganhamos na preservação do nosso bairro, na saúde. No nosso caso, também ajudou o morador de Corrêas, Nogueira, enfim, de outras regiões”, disse.

Além do Caxambu, a prefeitura também vai instalar fossas sépticas na comunidade da Vila São Francisco – localidade conhecida também como Horta, que fica no Meio da Serra, na Unidos Venceremos, que fica no Quarteirão Brasileiro, além de biodigestores na Comunidade do Ingá, na Posse.

"São ações com foco no saneamento básico. Os moradores dessas localidades aguardavam isso há bastante tempo. Essa ação, que conta com o apoio da Águas do Imperador, proporciona diversos benefícios para os moradores e garante a preservação dos recursos naturais das áreas atendidas”, completa o secretário de Meio Ambiente.


Dentro da nova Lei de Incentivos Fiscais, o empresário terá a oportunidade de encontrar mais uma contrapartida para angariar o benefício. Empresas poderão adotar uma praça ou um jardim na cidade e ficarão responsáveis pelo espaço ao longo da duração do incentivo fiscal, que pode ser de um a 15 anos. O governo municipal, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, realizou um levantamento que o município possui em torno de 40 praças, com total de 42 mil metros quadrados. Cerca de seis empresas já demonstraram interesse e estão em conversação para adotar algum espaço público.

“Esse será mais um modelo para beneficiar os empresários da cidade. A legislação foi adaptada, com uma flexibilização para que todos os interessados possam fazer parte desta ação em prol do município. Além do incentivo fiscal, o empresário vai ajudar o poder público a manter esses espaços, tornando os mesmos em atrativos para os moradores e turistas que visitarem Petrópolis”, destaca o governo interino.

Na segunda-feira (30.08), o secretário de Desenvolvimento Econômico e o coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica participaram de uma Audiência Pública na Câmara de Vereadores e puderam apresentar o projeto para os parlamentares. Soares expôs os critérios e os objetivos da lei, que segundo ele, “vai ser uma maneira de viabilizar a participação da sociedade e do empresariado no auxílio ao poder público para manter equipamentos públicos. Tornamos a lei mais atrativa e mais fácil de ser aderida pelo empresariado, dentro da nova Lei de Incentivos Fiscais”.

O Desenvolvimento Econômico também salientou que o governo fez contato com o botânico da Fiocruz, para que ele indicasse quais as melhores flores, as mais adequadas para o clima petropolitano. Foi feita uma lista de sugestões para quando o empresário adotar um espaço, possa utilizar as indicações feitas pela fundação.

“Para a questão das placas indicativas, o pessoal do curso de Arquitetura e Urbanismo da Estácio de Sá, por meio LAB's Arqlab e LABin, nos ofereceu gratuitamente, o design dos modelos que serão instalados nos locais adotados pelos empresários. O detalhe é que esse modelo já foi aprovado pelo IPHAN e pelo INEPAC. As placas e o pedestal serão confeccionados em aço, por ter boa durabilidade e vamos contactar empresas petropolitanas interessadas em confeccionar esse material. O empresário que adotar um espaço não vai precisar se preocupar com esse trâmite. Nós vamos indicar esses fornecedores”, aponta o secretário.

O secretário também detalhou que cotou com seis empresas de jardinagem de Petrópolis os custos para a reforma e manutenção de algumas praças e jardins da cidade. “Colocamos uns cinco espaços como exemplo e pedimos para as empresas nos enviarem os orçamentos com os custos para o plantio de flores e plantas e a manutenção periódica destes espaços. O empresário já terá a indicação desses orçamentos, não precisando se preocupar em achar uma empresa que faça o serviço”, aponta o secretário.

Dentro dessa ação, o secretário explicou que “o município vai oferecer também uma contrapartida, desconto em impostos, para cada caso. Será feita uma conta, de acordo com o tamanho do espaço adotado, para que o empresário que queira participar do sistema de adoção, tenha esse benefício”.

O coordenador de Planejamento explanou sobre os critérios técnicos para o sistema de adoção das praças e jardins da cidade. “Alguns critérios técnicos, como a questão de acessibilidade, algo fundamental, devem fazer parte desse processo de adoção. O projeto deve seguir as adequações e normas, que foram facilitadas para que um maior número de empresários possa participar”, finaliza.

No Estado, Petrópolis ficou em 3º lugar, tendo à frente apenas o Rio de Janeiro e Niterói

Petrópolis ficou em 32º na edição 2021 do Ranking Connected Smart Cities, estudo desenvolvido pela Urban Systems para o evento homônimo, idealizado pela Necta e Urban Systems, publicado na edição desta quarta-feira (01.09) no caderno Mobilidade do jornal O Estado de São Paulo. No Estado, Petrópolis ficou em 3º lugar, tendo à frente apenas o Rio de Janeiro e Niterói. A cidade obteve nota 33,404.

“Ver Petrópolis em destaque em pesquisas e rankings que analisam o setor financeiro e de investimentos nos municípios brasileiros reforça o crescimento e o desenvolvimento do município. Temos trabalhado de forma a estimular ainda mais este crescimento, incentivando a desburocratização. Além disso, nossa nova lei de incentivo fiscal traz ainda mais oportunidades”, explica o governo interino.

Outros números de destaque no estudo mostram Petrópolis em 10º lugar entre todas as cidades analisadas nos eixos Inovação e Saúde. O município também ficou em 11º entre as cidades de 100 mil e 500 mil habitantes e em 17º entre todas da Região Sudeste. O estudo é desenvolvido desde 2015, criando uma plataforma de discussão e negócios sobre Cidades Inteligentes.

Neste ano para a formação do ranking são avaliados 75 indicadores dentro de 10 eixos temáticos: Mobilidade e Acessibilidade, Urbanismo, Meio Ambiente, Tecnologia e Inovação, Economia, Educação, Saúde, Segurança, Empreendedorismo e Governança.

O ranking avaliou 677 cidades do país, sendo 49 com mais de 500 mil habitantes, 277 com população entre 100 mil e 500 mil pessoas e 351 com população estimada entre 50 mil e 100 mil. A elaboração do ranking é feita por meio de análise de publicações nacionais e internacionais e indicadores sobre a temática de cidades inteligentes, sustentáveis, conectadas e assuntos correlatos

“O município tem uma vocação muito ampla. Vamos tornar a cidade cada vez mais inteligente e sustentável ao longo dos processos, porque estamos investindo em várias ações importantes. Acredito que a cidade será referência e excelência nesse quesito, será um modelo de smart city.”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico.

Uma espera de mais de 12 anos chegou ao fim: o governo entregou, na tarde de hoje (28/08), o documento de doação de uma rua projetada – mas que nunca foi construída – no meio da Feirinha de Itaipava. A cessão do terreno para a Associação garante que o espaço continue sendo usado somente para as atividades comerciais e permite mais investimento em infraestrutura. O local gera cerca de dois mil empregos diretos e quase quatro mil indiretos, beneficiando mais de oito mil famílias petropolitanas.

“Fico muito feliz em entregar este documento para a Associação da Feirinha de Itaipava. É a concretização de um sonho de muitos anos, que abre o caminho para vários outros projetos. É uma ação que estimula o desenvolvimento econômico”, disse o governo.

Na Feirinha de Itaipava são 390 estandes, todos ocupados para atividades comerciais. Segundo Sérgio G-Tão, administrador da feirinha, foram mais de 12 anos lutando para que essa doação acontecesse. Dessa maneira, será possível, entre outros projetos, a construção de um Centro de Convenções, um desejo antigo dos empresários da região.

“Antes da compra, em 1991, o terreno da Feirinha era dividido em lotes. No meio desses lotes existia uma rua, que nunca foi construída. Desde que fui eleito administrador em 2007, luto para que essa parte do terreno fosse doada para a associação. Agora, sim, podemos pensar em novos investimentos, como o Centro de Convenções, garantindo cada vez mais público para cá”, disse G-tão.

Segundo o secretário de Turismo, a doação possibilitará a execução de um antigo projeto da Associação Feirinha de Itaipava, que é a criação de um grande centro de convenções, que vai ajudar muito na recuperação do setor de eventos no município. "Todo projeto que possa contribuir para o desenvolvimento econômico da região e movimentar a cadeia produtiva do turismo é sempre bem-vindo. Essa doação certamente renderá dividendos positivos para os lojistas do espaço comercial, que é tão importante nos distritos, e também de forma indireta para os setores da hotelaria, gastronomia, comércio e serviços", destaca.

O terreno onde funciona a Feirinha de Itaipava era chamado de “Loteamento Vilar do Carmo” antes de ser adquirido pela Associação. A chamada “Rua B” fica exatamente no meio do local. O espaço foi planejado como via, mas nunca foi utilizado com esse fim, nem recebeu as características necessárias para isso. Agora, oficialmente, o terreno pertence a feirinha.

"A prefeitura está resolvendo um pleito antigo da feirinha de Itaipava para dar mais tranquilidade aos comerciantes que atraem grande público da cidade e também de turistas", completa o secretário de Desenvolvimento Econômico.

Pagina 1 de 13