Quinta, 27 Junho 2013 - 19:38

Autistas recebem vacina contra a gripe

Uma parceria entre a Secretaria de Saúde e o Grupo de Amigos do Autista de Petrópolis (Gaape) levou a campanha de vacinação contra a gripe aos pacientes da entidade. Na última terça-feira (26/6) 46 autistas receberam as doses, que foram ministradas na sede do Gaape, em uma iniciativa inédita do município.

“Fizemos o pedido e a Secretaria aceitou, ficamos muito contentes com a parceria, porque muito dos nossos pacientes tem dificuldades em ir aos postos de vacinação. Essa parceria permitiu que eles fossem imunizados”, destacou a presidente da entidade, Márcia da Silva Loureiro. A gerente de imunização do Setor de Epidemiologia, Alessandra Savan, disse que a vacinação tranquila e teve uma boa adesão dos pacientes.

Sábado vai ser o Dia D de imunização; Centro de Saúde terá programação especial

A Secretaria de Saúde prorrogou a Campanha de Vacinação contra Sarampo e Poliomielite até o próximo dia 22. A medida segue a orientação da Secretaria de Estado de Saúde, que deu início à campanha “Tchau Sarampo, Tchau Pólio”. A campanha tem o objetivo de reforçar a necessidade da vacinação durante a infância e prorrogar a imunização contra as duas doenças em todo o estado.

Esta é mais uma oportunidade para quem não levou os filhos para vacinar procurar uma das salas de vacinação. São 15 os postos aplicando as doses no município durante a campanha.

Após pouco mais de um mês de Campanha, Petrópolis registra 77% de cobertura vacinal do público alvo tanto contra a poliomielite quanto contra o sarampo. Foram aplicadas, até agora, 11.052 doses de vacina contra pólio e 10.939 da triviral, que previne, além do sarampo, a rubéola e a caxumba. A expectativa da Secretaria de Saúde é de vacinar 14 mil crianças até o fim a Campanha Nacional. Todas as crianças de um a cinco anos incompletos devem se vacinar, independentemente da situação vacinal.

No próximo sábado (15), vai acontecer o Dia D de vacinação. Nove postos de saúde estarão funcionando e atendendo a população das 8 às 17h. Serão eles: Centro de Saúde Coletiva, unidades básicas de Saúde da Mosela, Quitandinha, Retiro e Itaipava e os postos do Itamarati, Alto da Serra, Pedro do Rio e Posse.

“Pela imunização de rotina, a vacina triviral deve ter primeira dose aplicada quando completado um ano de vida, com reforço com um ano e três meses. Quem não está no público alvo da campanha e já tem doses de acordo com o calendário de vacinas não precisa ser vacinado novamente”, explicou a diretora de Vigilância em Saúde, Elisabeth Wildberger. A aplicação da triviral fechou o ano passado com 73% de cobertura e contra a poliomielite com 71%.

O Brasil não registra casos de poliomielite desde 1990. No entanto, apesar da erradicação ter sido feita há 28 anos, o país mantém a vacina no calendário nacional. Quanto ao sarampo, há 26 anos Petrópolis não registra casos da doença. Este ano, 18 casos foram confirmados no estado, sendo 15 na cidade do Rio, dois em Duque de Caxias e um em Niterói. 

Centro de Saúde terá programação especial no Dia D

Referência do município na aplicação de vacinas, o Centro de Saúde Coletiva Professor Manoel José Ferreira não poderia ficar de fora do Dia D da Campanha de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite, no próximo sábado (15.09). A unidade vai contar com uma equipe do Doutores de Esperança, um grupo de voluntários que se vestem de palhaço para levar animação ao local.

“O grupo foi criado há cinco anos em Volta Redonda e visa levar alegria a quem passa por momentos de tristeza ou apreensão. A vacinação é um momento em que as crianças ficam muito tensas, com medo, e isso é, inclusive, passado para os pais. Queremos transformar estes momentos em momentos de alegria. Nosso sentimento com isso é um só: gratidão”, explicou o coordenador do grupo, Ricardo Beck.

O Doutores de Esperança vai levar ao Centro de Saúde a Bobolância, um veículo adaptado e caracterizado com enfeites de palhaço. O grupo vai apresentar, também, uma simulação de vacinação, com os voluntários fazendo uma apresentação bem-humorada da imunização. A visita vai acontecer das 10 às 12h.

Confira a lista com as 15 salas que participam da Campanha de segunda a sexta-feira:

PSF Alto da Serra

PSF Posse

PSF São Sebastião

UBS Alto Independência

UBS Morin

UBS Mosela

UBS Itaipava

UBS Pedro do Rio

UBS Quitandinha

UBS Retiro

Centro de Saúde Coletiva

Centro de Saúde no Itamarati

Ambulatório Escola

Epidemiologia (ao lado do Hospital Municipal Doutor Nelson de Sá Earp)

Hospital Alcides Carneiro (HAC)

Os petropolitanos que ainda não tiveram tempo de comparecer a uma das 45 unidades de saúde do município que estão realizando a vacinação contra gripe, terão mais uma chance. A Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe foi prorrogada em Petrópolis até o dia 17 de maio.

O setor de Epidemiologia da Secretaria de Saúde informa que até o momento, 36.612 pessoas já foram vacinadas, o que representa 61,77% da meta. Sendo que 78,84% das crianças já se vacinaram; 61,9% trabalhadores da área da saúde; 51,3% gestantes; 75,1% puérperas (mulheres com até 45 dias pós-parto) e 59,97% de idosos. 

Com um parente internado para uma cirurgia delicada ou passando por um tratamento prolongado como os de combate ao câncer, familiares recorrerem à capela do Hospital Alcides Carneiro, um local de introspecção e fé. Dentro do objetivo de humanização do atendimento do HAC, a maior unidade pública com 10 mil internações e 5,7 mil cirurgias por ano, dentre as quais 550 de câncer, a direção do hospital está ativando um serviço de capelania com 28 capelães voluntários que vão atuar também em outras áreas –permitidas – do hospital. A partir da próxima semana, eles vão percorrer as dependências do HAC, oferecendo apoio espiritual a pacientes e familiares e encorajá-los no tratamento.

Na reunião desta segunda, foi apresentada aos membros da Comissão de Humanização a equipe que vai implementar a capelania no HAC. “Já tive oportunidade de conhecer o hospital em visitas a conhecidos e parentes e fiquei impressionado com a estrutura. Posso dizer que é perceptível o alto nível do trabalho desenvolvido aqui, coisa de primeiro mundo”, disse o capelão responsável pela equipe, pastor Paulo Cesar de Azevedo.

O Hospital Alcides Carneiro já tem incentivado a humanização, por meio de atividades que visam o bem-estar dos atendidos. A reunião com a capelania a

Com um parente internado para uma cirurgia delicada ou passando por um tratamento prolongado como os de combate ao câncer, familiares recorrerem à capela do Hospital Alcides Carneiro, um local de introspecção e fé. Dentro do objetivo de humanização do atendimento do HAC, a maior unidade pública com 10 mil internações e 5,7 mil cirurgias por ano, dentre as quais 550 de câncer, a direção do hospital está ativando um serviço de capelania com 28 capelães voluntários que vão atuar também em outras áreas –permitidas – do hospital. A partir da próxima semana, eles vão percorrer as dependências do HAC, oferecendo apoio espiritual a pacientes e familiares e encorajá-los no tratamento.

Na reunião desta segunda, foi apresentada aos membros da Comissão de Humanização a equipe que vai implementar a capelania no HAC. “Já tive oportunidade de conhecer o hospital em visitas a conhecidos e parentes e fiquei impressionado com a estrutura. Posso dizer que é perceptível o alto nível do trabalho desenvolvido aqui, coisa de primeiro mundo”, disse o capelão responsável pela equipe, pastor Paulo Cesar de Azevedo.

O Hospital Alcides Carneiro já tem incentivado a humanização, por meio de atividades que visam o bem-estar dos atendidos. A reunião com a capelania apresentou aos voluntários os trabalhos desenvolvidos desde a implantação da Comissão, como as ações do Agosto Dourado, que promoveu incentivo ao aleitamento materno.

“Nossas ações no Agosto Dourado foram sempre com o objetivo de trazer a ideia da campanha, que é promover o aleitamento materno, mas gerando também a união e mais alegria para mães que acabaram de ter seus filhos. Por exemplo, fizemos um trabalho com maquiagem e fotos, para elevar a autoestiama delas. O retorno é muito satisfatório”, explica a enfermeira chefe da maternidade, Lorena Sabaddini.

Também foi citado o mutirão de consultas para os idosos, que teve, além dos atendimentos médicos, atividades lúdicas e de integração, com música e atividades físicas no Ambulatório da unidade. A atividade aconteceu no dia 1º de setembro e envolveu 120 idosos.

“Foi muito prazeroso perceber a alegria no olhar de cada um que esteve e pode participar das atividades extras que promovemos. Um simples ato tem o poder de mudar para melhor o dia de alguém. Queremos, também, trabalhar este sentimento entre a nossa equipe. O objetivo é transformar o dia a dia de trabalho em algo sempre mais humano, para que isso chegue da melhor forma possível aos nossos atendidos”, disse o gerente do Ambulatório do HAC, Rene Giardini.

No segundo encontro da Comissão de Humanização do Hospital Alcides Carneiro foram divulgadas, também, as próximas ações da unidade. Estão previstas, ainda para este mês, trabalhos de conscientização e prevenção ao suicídio, em apoio à campanha mundial Setembro Amarelo. Vão ocorrer, também, mutirões de consultas da Saúde da Mulher, durante o Outubro Rosa, e cirurgias urológicas no Novembro Azul.

presentou aos voluntários os trabalhos desenvolvidos desde a implantação da Comissão, como as ações do Agosto Dourado, que promoveu incentivo ao aleitamento materno.

“Nossas ações no Agosto Dourado foram sempre com o objetivo de trazer a ideia da campanha, que é promover o aleitamento materno, mas gerando também a união e mais alegria para mães que acabaram de ter seus filhos. Por exemplo, fizemos um trabalho com maquiagem e fotos, para elevar a autoestiama delas. O retorno é muito satisfatório”, explica a enfermeira chefe da maternidade, Lorena Sabaddini.

Também foi citado o mutirão de consultas para os idosos, que teve, além dos atendimentos médicos, atividades lúdicas e de integração, com música e atividades físicas no Ambulatório da unidade. A atividade aconteceu no dia 1º de setembro e envolveu 120 idosos.

“Foi muito prazeroso perceber a alegria no olhar de cada um que esteve e pode participar das atividades extras que promovemos. Um simples ato tem o poder de mudar para melhor o dia de alguém. Queremos, também, trabalhar este sentimento entre a nossa equipe. O objetivo é transformar o dia a dia de trabalho em algo sempre mais humano, para que isso chegue da melhor forma possível aos nossos atendidos”, disse o gerente do Ambulatório do HAC, Rene Giardini.

No segundo encontro da Comissão de Humanização do Hospital Alcides Carneiro foram divulgadas, também, as próximas ações da unidade. Estão previstas, ainda para este mês, trabalhos de conscientização e prevenção ao suicídio, em apoio à campanha mundial Setembro Amarelo. Vão ocorrer, também, mutirões de consultas da Saúde da Mulher, durante o Outubro Rosa, e cirurgias urológicas no Novembro Azul.

Capacitação reuniu 57 participantes no Centro Cultural Raul de Leoni

O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) promoveu nesta terça-feira (14.11) um curso de Vigilância em Saúde do trabalhador que reuniu 57 participantes no Centro de Cultura Raul de Leoni. A capacitação teve como foco orientar os profissionais da área sobre a análise e criação de ações de controle dos agravos e de doenças relacionadas ao ambiente de trabalho.

 A capacitação voltada para profissionais de Vigilâncias Sanitária, Epidemiológica, Ambiental, além de Serviço Social, Hospitais, Sindicatos que atuam pela Saúde do Trabalhador reuniu representantes de São José do Vale do Rio Preto, Sumidouro, Guapimirim, Nova Friburgo e Petrópolis.

Promovemos uma reestruturação na Secretaria de Saúde como um todo e a nossa linha de governo é uma gestão integrada. Precisamos melhorar as notificações de casos de acidentes de trabalho, pois eles ocorrem, mas nem sempre são notificados, por conta disso é importante realizarmos esse curso com a participação de diferentes municípios a fim de compartilharmos experiências e melhorias na nossa atuação. A integração entre os postos de saúde, unidades básicas, além de toda rede de atendimento pública e particular é fundamental para criarmos as políticas públicas que nos nortearão durante a gestão.

O evento superou as expectativas da organização que prevê para o próximo ano outra integração entre profissionais da cidade e de outros municípios. A expectativa é fortalecer a formação continuada dos profissionais e representantes do controle social para uma análise conjunta da situação de saúde e controle dos agravos e doenças relacionados ao trabalho.

“O evento superou as expectativas. Nós realizamos uma discussão sobre os conceitos de vigilância em saúde do trabalhador, atualização sobre a legislação vigente, desenvolvimento de metodologias de investigação/intervenção, proporcionar conhecimento sobre o funcionamento do Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN visando instrumentalizar o treinando a utilizar na sua prática diária o referencial epidemiológico na análise da situação de saúde e no planejamento de ações”, afirma Gustavo Cabral, o chefe do Cerest.

O município vem intensificando as ações de prevenção a acidentes de trabalho e promoção de Saúde junto aos trabalhadores do município. O serviço foi reestruturado a fim de promover a redução de casos de acidentes, aumentar a notificação dos casos por parte das Unidades de Saúde e conscientizar a população a adotar hábitos saudáveis e uma rotina de acompanhamento médico. Atualmente o município tem registrado 130 acidentes de trabalhos entre leves e graves.

“O Cerest realiza visitas a empresas, fábricas e instituições públicas e privadas com ações educativas, além do acompanhamento aos trabalhadores autônomos realizando capacitações, orientando sobre o uso correto do EPI - Equipamento de proteção individual e pesquisas junto aos trabalhos que gerarão indicadores para criação de propostas de melhorias da saúde da população”, informa Fabíola Heck, superintendente de Atenção à Saúde.

O Cerest presta atendimento aos trabalhadores que contraem doenças ou algum tipo de agravo relacionado à suas atividades no trabalho. Promove a proteção dos trabalhadores, investiga as condições do ambiente laboral, fazendo uso de dados epidemiológicos provenientes de atendimentos clínicos e de notificações de acidente do trabalho (CAT). O espaço funciona na Rua Dom Pedro, nº 214, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Os telefones para atendimento são (24) 2244-7081 e (24) 2246-9214.

São 50 vagas para a capacitação que acontece na próxima segunda (17.09)

Acontece, na próxima segunda-feira (17.09), mais uma edição do Curso de Boas Práticas para Manipuladores de Alimentos, promovido pela Coordenadoria de Vigilância Sanitária (COVISA). São 50 vagas disponíveis, onde o trabalhador aprenderá como manipular alimentos de forma segura e com menos risco sanitário para o público. A capacitação vai acontecer no auditório da Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias, das 9 às 13h.

“Essas ações são voltadas para a educação dos profissionais que já trabalham na área, empresários e futuros empresários do ramo de comércio de alimentos. O curso tem como objetivo a prevenção das doenças transmitidas por alimentos. São muitas essas doenças, que podem acometer a população, e provêm da falta de boas práticas ao lidar com os produtos”, explica a coordenadora de Vigilância Sanitária, Dayse Carvalho.

Neste sentido, a Vigilância Sanitária de Petrópolis já capacitou mais de 500 profissionais desde junho de 2017. De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária, a orientação faz parte das diretrizes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), órgão ligado ao Ministério da Saúde.

“Eles receberão material gráfico educativo em forma de cartilhas. A proposta é mostrar as formas seguras de atuar no segmento. O curso vai desde a aquisição do alimento, preparo, transporte, até a conservação dos alimentos crus, em conserva ou já prontos, além da forma de servir para o comércio”, completa Dayse.

A Secretaria de Defesa Civil e Ações Voluntárias fica na Rua Buarque de Macedo, 128, no Centro. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , pelos telefones 2246-9041 ou 2246-9209 ou no dia do evento.

Os dois novos membros, representantes da sociedade civil, do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas (CMPD) foram escolhidos na manhã de hoje (28/11) durante o I Forum do Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas. A União Nacional dos Estudantes (UNE) e o Lions Clube de Petrópolis/Itaipava preencheram as duas últimas vagas para formação do CMPD.
A eleição aconteceu na Casa dos Conselhos (localizada na Avenida Ipiranga, nº 544) e foi presidida pelo secretário de Saúde, André Pombo. “Agora que a composição do conselho está completa podemos dar prosseguimento às atividades, entre elas a elaboração do regimento interno da entidade”, disse o secretário. A primeira eleição para compor as vagas de representantes da sociedade civil do CMPD aconteceu no dia 28/11.
Com o preenchimento das vagas, foi marcada a data da primeira reunião do conselho, dia 4/12, próxima quarta-feira, às 19 horas, na Casa dos Conselhos. Em pauta a eleição da mesa diretora composta por presidente, vice-presidente, primeiro e segundo secretários. O mandato é de dois anos. O conselho é paritário e haverá alternância entre os representantes do governo e da sociedade civil.
Além dos membros eleitos também fazem parte da nova composição do CMPD representantes da Polícia Civil; da Polícia Militar; do Juizado da Infância, Juventude e Idoso; do Conselho Tutelar; da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/RJ); do Conselho Regional dos Médicos do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj); do Conselho Regional de Psicologia/RJ; do Conselho Regional de Enfermagem (Coren/RJ) e do 32º Batalhão de Infantaria Motorizada (BIMTZ).
O CMPD foi reativado em agosto deste ano, após a aprovação pela Câmara Municipal do projeto de lei do prefeito Rubens Bomtempo. O projeto adequou a Lei Municipal 5.885 de 10 de junho de 2002, mudando a nomenclatura do conselho e tornando-o deliberativo. Na justificativa do projeto, o prefeito ressalta que o conselho estava desativado há pelo menos quatro anos e é órgão fundamental ao êxito na prevenção à dependência química.
Segue a lista das vagas preenchidas pela sociedade civil para o Conselho Municipal de Políticas Sobre Drogas:

Instituição de Ensino Superior que desenvolva pesquisas na área
Fase
Estácio de Sá
 
Instituições Religiosas
Mitra Diocesana de Petrópolis
Conselho de Ministros Evangélicos de Petrópolis (Comempe)
 
Organizações não governamentais que desenvolvam serviços na área de prevenção e tratamento
Oficina de Jesus
Sal para Terra
 
Associações de Moradores
Forum das Associações
Centro Comunitário do Contorno
 
Entidade Estudantil
União Nacional dos Estudantes (UNE)
 
Usuários ou Familiares
Vanderleia Vieira de Oliveira Azevedo
 
Clubes de Serviços
Lions Clube de Petrópolis/Itaipava

A exposição com fotos de seis “Vitoriosas” foi o destaque do encerramento da Campanha do Outubro Rosa do Hospital Alcides Carneiro (HAC), que aconteceu nesta sexta-feira (01.11), na Casa dos Conselhos. O evento é uma realização da Comissão de Humanização do Hospital, que durante todo o mês de outubro ofereceu diversas ações de conscientização sobre o câncer de mama.

O evento contou também com a apresentação do coral Pró-Tempore e um coquetel. As fotos ficaram expostas durante todo o evento, e cada Vitoriosa escolheu o tema de algum filme, como Mulher Maravilha, Diário de uma Princesa, Uma Linda Mulher, entre outros.

“Nós nos sentimos muito valorizadas com as fotos. Tiramos um dia só para gente, fizemos maquiagem, nos arrumamos, foi ótimo”, contou a Vitoriosa Sheila Coelho Gonçalves Pereira. “Nós incorporamos os personagens, ficamos felizes em ser exemplo de força para outras mulheres”, frisou Albertina Josélia Gonçalves da Silva, também Vitoriosa. Participaram na mostra também as Vitoriosas Natalia Paredes Gil Silva e Lucia Helena de Almeida Sombreira.

Entre muitas ações da Campanha do Outubro Rosa, o HAC realizou mutirões de exames, consultas, além do mutirão de cirurgias de reconstrução da mama, onde 18 mulheres foram atendidas. Além das tardes de beleza, que as mulheres puderam fazer as unhas, cabelo, sobrancelha entre outras ações que recuperam e estimulam a autoestima.

“Toda a campanha é humanização e acolhimento, procuramos manter sempre um espaço mais agradável apesar da situação difícil. Estamos preocupados com o atendimento e a satisfação dos pacientes e familiares. Este bom resultado que motiva a equipe. A campanha sensibiliza a população e acolhe quem é diagnosticado com a doença”, contou o diretor Administrativo, Leonardo Aldighiéri.

A organização das ações da Campanha do Outubro Rosa do HAC foi realizada pela Comissão de Humanização composta pela coordenadora da psicologia, Raquel Gonçalves Dias; a coordenadora de atendimento, Francineide Caciano Lima e o gerente de Ambulatório, Rene Giardini. A campanha tem como padrinhos Gisele Goulart, Vinicius Fernandes e Marilda Plácido.

Vigilância Ambiental extingue plantão de monitoramento aos sábados a partir de (01.10)

194 mil pessoas já se protegeram contra a doença 

O Ministério da Saúde declarou o fim do surto de febre amarela em todo o Brasil por não registrar casos da doença desde junho, quando foi confirmado o último caso da doença no Espírito Santo. Em Petrópolis nunca ocorreu casos da doença, mas mesmo com a interrupção da transmissão no país, a Secretaria de Saúde ressalta a importância de manter as ações de prevenção e ampliação da cobertura vacinal para prevenir o surgimento de casos da doença no próximo verão, período com maior probabilidade de ocorrência. Atualmente há 194 mil pessoas imunizadas no município. 

O Ministério da Saúde passou a adotar o protocolo de imunização preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) que indica a dose única da vacina contra a febre amarela para as áreas com recomendação de vacinação em todo o país. 

Seguimos o protocolo com a aplicação da dose única. Sendo assim, as pessoas que tomaram a vacina no passado já estão imunizadas. O município cumpriu o cinturão de imunização proposto pelo Ministério da Saúde vacinando mais de 80 mil pessoas, apenas em áreas verdes, entre março e abril deste ano. Em Petrópolis nunca foi registrado nenhum caso de febreamarela em humanos e não há nenhum paciente sob investigação ou com sintomas da doença no município. 

A campanha de vacinação contra a febre amarela teve início em Petrópolis no dia 18 de março com a chegada de 75 mil doses. Além de proporcionar um sistema de vacinação inédito, com 50 pontos de vacinação em todo município, a Saúde também adotou a vacinação volante, levando as doses às áreas de população da zona rural e famílias que vivem em locais próximos a matas. 

 Devem se vacinar crianças a partir de nove meses a adultos com até 59 anos. A imunização é contra indicada para gestantes, pessoas com o sistema imunológico debilitado e pessoas alérgicas à gema de ovo. Os idosos devem ser vacinados apenas com a liberação de um médico. 

Vigilância Ambiental extingue plantão de monitoramento

A Coordenação de Vigilância Ambiental está extinguindo a partir deste sábado (30.09) os plantões de fim de semana e feriados criados para auxiliar a população que encontrassem macacos sem vida ou debilitado durante o período de circulação de febre amarela no Estado do Rio. Os atendimentos passam a ocorrer de segunda a sexta-feira, de 8 às 17h, na sede da Vigilância Ambiental na Avenida Dom Pedro I, 353, Centro, ou pelo telefone (24) 2291-1797 todos os dias de 8 às 17h, inclusive aos sábados, domingos e feriados.

A coordenadora da Vigilância Ambiental, Maria Beatriz Pellegrini, explica que os plantões foram criados após o registro de um macaco contaminado com febre amarela em junho.

“Registramos casos de pessoas que envenenaram os animais por medo de se contaminar com febre amarela. A população não corre risco de pegar febre amarela por meio desses animais, a doença é transmitida por mosquitos que se encontram apenas em áreas de mata fechada. De todas as amostras enviadas ao laboratório no Rio de Janeiro, apenas uma se confirmou, reforçando que o vírus não circulou pela nossa cidade. Mas, caso a população encontre algum doentes ou mortos, eles precisam seguir para centros de reabilitação e também para laboratórios de referência para serem examinados, para isso é preciso que a população ligue e solicite a retirada dos animais com segurança”, orienta. 

 A vacina contra febre amarela está disponível nas seguintes unidades: 

  • Instituto da Mulher (antigo Centro de Saúde) - Rua Santos Dumont, S/Nº
  • PSF Alto da Serra - Rua Teresa, 2.024 (Praça Miguel Couto)
  • PSF São Sebastião - Rua São Sebastião nº 625
  • UBS Alto Independência - Rua Ângelo João Brand s/n
  • Ambulatório Escola - Rua Bernardo Proença nº 32
  • Hospital Alcides Carneiro - Rua Vigário Corrêa, 1.345
  • UBS Morin - Rua Pedro Ivo, n.º 81 – Morin
  • UBS Itaipava - Estrada Philúvio Cerqueira Rodrigues s/n
  • UBS Pedro do Rio - Estrada União e Indústria s/n
  • PSF Posse - Estrada União de Indústria nº 33.530
  • Coordenação Epidemiologia - Hospital Municipal Nelson de Sá Earp - Rua Paulino Afonso, 455. 

*Atendimento de 9h às 19h30 – Com intervalo de 1 hora de almoço 

  • UBS Quitandinha - Rua General Rondon nº 400
  • UBS Retiro - Av. Barão do Rio Branco s/n 
  • UBS Itamarati - Rua HívioNaliato nº 169 

Informação foi confirmada em reunião, nesta quinta-feira (19.07)

Os profissionais das unidades de Saúde do município vão poder contar, ainda neste ano, com uma capacitação de cuidados paliativos oncológicos do Instituto Nacional do Câncer (INCA). A notícia foi dada por representantes do Instituto em reunião, nesta quinta-feira (19.07), com o secretário de Saúde, Silmar Fortes, diretores do Hospital Alcides Carneiro (HAC) e a presidente da Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO), Ana Cristina Mattos.

O município buscou esta capacitação junto ao INCA e fomos recebidos de braços abertos. É uma felicidade muito grande poder contar com estes cursos que serão ministrados pela equipe multidisciplinar do Hospital do Câncer IV (HC IV)e que auxiliará os profissionais de nossas unidades nos cuidados aos pacientes oncológicos. Queremos ampliar esse conhecimento e capacitar ainda mais estes profissionais no lidar com pessoas diante de um momento difícil.

A ideia é que equipes multidisciplinares do Hospital do Câncer IV (HC IV) subam a serra mensalmente para oferecer cursos sobre a assistência e cuidados, possibilitando mais qualidade de vida aos pacientes.O HC IV é a unidade de Cuidados Paliativos do INCA, responsável pelo atendimento ativo e integral aos pacientes do Instituto portadores de câncer avançado, sem possibilidades de cura.

No decorrer de um tratamento de câncer, a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia podem causar mais danos à saúde dos pacientes do que a própria doença. Muitos pacientes podem conviver com a doença fazendo o controle dos sintomas. Para isso, o cuidado paliativo pode auxiliar promovendo mais conforto, controle da dor e alívio dos sintomas com técnicas, para uma melhor qualidade devida, com o apoio de seus familiares.

“Trabalhamos estes cuidados, pois eles são essenciais para que lacunas deixem de existir no tratamento do paciente. É um momento em que há muita dor e sofrimento e estes cuidados vêm para um melhor entendimento das complicações e estresses, tanto relacionados ao tratamento quanto à evolução da doença. Estou muito feliz em saber que Petrópolis se interessou pelo tema e que, em breve, iniciaremos estes trabalhos por aqui”, contou a diretora do Hospital do Câncer IV.

Além da capacitação em cuidados paliativos, estão previstas, também, orientações sobre a aplicação da capelania no tratamento oncológico. O serviço foi criado pelo INCA para oferecer apoio espiritual a pacientes e familiares e encorajá-los no decorrer de todo o período de acompanhamento.

“Nossa ideia é dar o suporte espiritual aos pacientes e familiares, sem o olhar de apenas uma religião. É um serviço criado há 11 anos pelo INCA e que transcende a religião, com o objetivo de confortar e valorizar a espiritualidade entre os atendidos”, explica o capelão titular do HC IV.

A capelania já acontece desde o ano passado na Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos (APPO). Para a presidente da APPO, Ana Cristina Mattos, a capelania tem sido essencial para o tratamento e conforto dos pacientes.

“É um trabalho muito bonito e que gera um bem enorme aos atendidos pela nossa Associação. Por meio da capelania, eles recebem todo o cuidado espiritual e percebo que se sentem muito confortáveis. É uma atenção muito especial”, comenta Ana Cristina Mattos.

Pagina 2 de 186

Notícias por data

« Outubro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31  

Prestação de conta COVID-19

Alvará Online - BANNER

Casa dos Conselhos

DO

Cadastro da inscrição do IPTU para crédito da Nota Imperial

turispetro

iluminacao

balcao empregos

plano compras

portal transparencia

licitacao

Concursos

Casa dos Conselhos

ecidade

jrestaurativa

gabinete cidadania.fw

cpge

EOUVmunicipios

selo acesso_informacao.fw

Relatorio CMVP

cmv-logo